Ringo Starr, o ex-beatle de muitos amigos

Músico completa 70 anos nesta quarta, 7, comemorando 15 discos solo repletos de grandes parcerias

Da redação Publicado em 07/07/2010, às 16h39

O ex-Beatle completa 70 anos hoje, 7 de julho

Ver Galeria
(4 imagens)

No dia 7 de julho de 1940, nasceu um dos homens mais lembrados na música nas últimas décadas: Richard Starkey Jr., o Ringo Starr. O ex-beatle completa nesta quarta-feira 70 anos, boa parte deles dedicados à música.

Ringo nasceu na cidade de Liverpool, Inglaterra, onde viveu até os 24 de idade. Com uma infância e adolescência acompanhada de vários problemas de saúde, ele passou mais tempo em hospitais que na escola. Aos 15 anos, não sabia ler e escrever como deveria, mas isso não afetou o futuro artístico que lhe aguardava. "Quando eu tinha treze anos, eu só queria ser baterista", disse em uma entrevista à Rolling Stone EUA. Em 1956, ganhou a primeira bateria como presente de Natal do padrasto. A carreira começou na The Eddie Clayton Skiffle Group, ao lado de Eddie Miles; foram dois anos na banda, antes de entrar para a Raving Texas (que virou, posteriormente, a Rory Storm and The Hurricanes). Foi nesta época que o baterista ganhou o apelido de Ringo Starr, por conta dos diversos anéis (rings, em inglês) que usava.

Em um show durante o verão de 1962, Ringo foi convidado para substituir Pete Best nos Beatles. Foram oito anos na banda, ao lado dos parceiros John Lennon, Paul McCartney e George Harrison. Tempos depois, ele daria nome à música "A Hard Day's Night", título do primeiro filme dos Beatles. No final dos anos 60, ele também fez parte de uma das várias formações da Plastic Ono Band, ao lado de John Lennon, Eric Clapton, Yoko Ono, Klaus Voormann e Alan White, do Yes.

Os Beatles anunciaram o fim da banda em 1970, mas a carreira de Ringo seguiu em frente. Um ano antes, ele já dava os primeiros passos de sua carreira solo como baterista, cantor e compositor. No mesmo ano do término oficial do Fab Four, ele lançou o disco Sentimental Journey, sucedido, ainda em 1970, pelo álbum Beaucoups Of Blues.

No total, Ringo Starr lançou 15 discos de estúdio. Ao vivo, Ringo é acompanhado pela All Starr Band (a banda muda constantemente de formação).

O homem das parcerias

Ringo sempre contou com parceiros renomados em seus discos. Na maioria de seus trabalhos, contou com a participação de grandes nomes do rock, country e blues, e registrou um dos últimos discos que reuniu todos os integrantes dos Beatles, após o fim da banda.

A começar pelo primeiro disco: Sentimental Journey, que reúne uma série de releituras de canções das décadas de 30 e 40, contou com arranjos de George Martin (o "quinto beatle"), Klaus Voormann, Maurice Gibb, Quincy Jones e Paul McCartney.

Beaucoups of Blues foi outro trabalho repleto de "amigos". Com a ajuda de Pete Drake, o músico recrutou os compositores de country mais requisitados nos Estados Unidos na década de 70. O disco foi feito em apenas dez dias, graças às colaborações de Charlie Daniels, D.J. Fontana, Buddy Harman, Chuck Howard, Roy Huskey Jr, The Jordanaires, Ben Keith, Jeannie Kendall, Jerry Kennedy, Dave Kirby, Grover Lavender, Charlie McCoy, Sorrells Pickard, Jerry Reed e George Richey, entre outros. Neste trabalho, Ringo assumiu os vocais, e tocou bateria e violão em algumas faixas. O disco foi relançado em versão digital em 1995, e é considerado um grande álbum de música country.

Em 1973, o terceiro álbum do baterista, autointitulado, reuniu, em músicas diferentes, McCartney, Harrison e Lennon. O disco deu origem a hits como "Photograph", "Down and Out" e "You're Sixteen". Goodnight Vienna, de 1974, teve colaboração de Dr. John, Billy Preston, Robbie Robertson, Harry Nilsson e Richard Perry. Já Ringo's Rotogravure incluiu Peter Frampton, Lennon e Melissa Manchester. Em 1978, Bad Boy contou com ajuda de Benny Spellman e The Supremes em duas canções.

No disco Vertical Man, de 1998, Ringo convidou medalhões pop para cantar: Alanis Morissette, Ozzy Osbourne, Tom Petty, Brian Wilson (Beach Boys) e Steven Tyler (Aerosmith). Já em 2003, em Ringorama, o velho companheiro Eric Clapton e os músicos David Gilmour, Timothy B. Schmit (Eagles) e Willie Nelson assinaram algumas faixas do disco. Liverpool 8, de 2008, contou com a participação de Gary Burr, Steve Dudas, Mark Hudson, Sean Hurley, Zac Rae e Dave Stewart, ex-integrante do Eurythmics.

Y Not, lançado este ano, manteve a tradição: além de contar com Paul McCartney em duas músicas, o disco tem participações de Van Dyke Parks, Joe Walsh, Richard Marx, Joss Stone e Ben Harper.

Ringo Peace and Love

Ao meio-dia do seu aniversário, Ringo e seus familiares costumam celebrar com a saudação "Paz e Amor", sempre seguidos por adorares do músico. A iniciativa começou em 2008, quando Starr, em uma entrevista ao Hollywood Access, convidou fãs e pacifistas do mundo todo a fazer o "V" com os dedos no mesmo horário, no dia 7 de julho. Há dois anos, o aniversariante reuniu centenas de seguidores em frente ao Hard Rock Cafe, em Chicago.

Ringo continua a comemoração de seus 70 anos nesta noite, quando se apresenta com a All Starr Band no Radio City Music Hall, em Nova York.