Rita Lee é condenada a pagar R$ 5 mil a dois policiais de Sergipe

Durante uma apresentação em Aracaju, em janeiro de 2012, a roqueira desafiou os oficiais que revistavam o público

Redação Publicado em 19/04/2013, às 12h34 - Atualizado às 12h38

Depois de quase oito anos, Rita Lee lançará disco de estúdio
AP

Rita Lee foi condenada a pagar R$ 5 mil por danos morais a dois policiais que trabalharam na apresentação da roqueira realizada em 29 de janeiro de 2012. A decisão foi tomada pela Turma Recursal do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) na tarde desta quinta-feira, 18.

Leia textos das edições anteriores da Rolling Stone Brasil – na íntegra e gratuitamente!

Foram levados cinco casos de policiais, mas apenas dois foram julgados pela juíza Cléa Monteiro Alves Schiligmann. De acordo com informe publicado no site do Tribunal de Justiça do Estado de Sergipe, concluiu-se que a cantora proferiu palavras de “baixo calão, ofendendo-os em público, debochando dos mesmos, a ponto de terem sido vaiados pela plateia que assistia ao show musical por ela comandado, na qualidade de cantora nacionalmente conhecida e principal atração do evento que se realizava, fazendo com que, despidos de suas autoridades, eles se retirassem do local, sob o olhar de todos”, disse o relator dos casos julgados, juiz Marcos de Oliveira Pinto.

A primeira instancia do pedido por danos morais havia sido negada justamente porque, na ocasião, ficou decidido que os policiais não foram criticados individualmente. Nesta segunda, segundo Oliveira Pinto, o argumento não foi mais levado em conta. “Afasto o argumento de que o dano moral não pode ser reconhecido pelo simples fato de que nenhum policial fora individualizado ou nominalmente identificado, já que as agressões alcançaram todos os policiais que se encontravam exercendo suas atribuições no citado evento.”

Outros processos ainda serão levados ao tribunal. Na sessão desta quinta-feira foram votados apenas 5 dos 33 casos contra Rita Lee.

Na ocasião, na noite do dia 29 de abril, Rita foi detida após, de cima do palco, se referir aos policiais locais usando as palavras "cavalo" e "cachorro". Ela teria visto os policiais agredindo pessoas no público. "Por causa de um 'baseadinho'? É isso? Cadê o 'baseadinho' para eu fumar aqui agora? Eles não vêm me pegar! Vem cá, gatos, gatinhos! Ah, vão embora, não, não", disse ainda. Na mesma madrugada, Rita foi levada para a delegacia local para prestar esclarecimentos.

A cantora desistiu de seguir com a ideia de que aquele seria o seu último show e retornou aos palcos com uma turnê para comemorar os 50 anos de carreira. Ela, inclusive, fez uma apresentação no aniversário de São Paulo (leia a crítica da Rolling Stone Brasil aqui).