Pulse

Rob Zombie dirigirá série sobre assassinatos cometidos pela “família” de Charles Manson

Músico se juntará ao criador de Psicopata Americano, que escreverá roteiro do projeto

Rolling Stone EUA Publicado em 28/02/2014, às 17h07 - Atualizado às 17h19

Charles Manson
mansondirect.com

As mentes que, independentemente, criaram Patrick Bateman, personagem protagonista de Psicopata Americano, e a música que usa a voz de Patricia Krenwinkel dizendo a Diane Sawyer, ambas integrantes da “Família Manson”, “Eu já estou morta”, estão se juntando para criar uma série de TV para a Fox sobre os assassinatos cometidos pelos seguidores de Charles Manson.

O Homem Mais Perigoso do Mundo: uma das mais polêmicas entrevistas já publicadas na história da Rolling Stone EUA mostra quem é Charles Manson.

O autor Bret Easton Ellis e o roqueiro Rob Zombie estão nos primeiros estágios de desenvolvimento da série, de acordo com a Variety. Ellis escreverá o roteiro e mais alguns materiais extras não divulgados, enquanto Zombie será responsável pela direção. O programa mostrará personagens e eventos reais que aconteceram durante os mais horrorosos crimes da história dos Estados Unidos.

Nas mãos de Ellis e Zombie, a história será contada com diferentes pontos de vista e se passa durante e depois a onda de assassinatos que chocou o país no verão de 1969. A Variety, contudo, afirma que o projeto final ainda não recebeu luz verde para seguir em frente.

Exclusivo: as confissões finais de Charles Manson, o mais infame psicopata vivo.

“Sou obcecado com esta insana história desde quando era criança, então, obviamente, eu aceitei na hora a chance de me envolver neste projeto incrível”, disse Zombie. “Depois de conversar com Bret, eu percebi imediatamente que nós dividíamos a mesma visão para esta loucura época.”

Charles Manson foi condenado a morte em 1971, mas a sentença mudou para prisão perpétua depois que o estado da Califórnia aboliu a pena de morte, no ano seguinte – e já a trouxe de volta. Até agora, Manson teve 12 pedidos negados de liberdade condicional.