Robert Plant se arrepende de letras do Led Zeppelin: ‘Minha geração estava cantando sobre críticas sociais’

O vocalista do grupo possui um dos versos mais icônicos da história do rock n'roll, mas não se orgulha tanto assim das próprias composições

Redação Publicado em 03/02/2020, às 13h33

None
Robert Plant (Foto: Anthony Behar / SIPA via AP)

Os versos de Robert Plant em "Stairway to Heaven" certamente está entre uns dos mais famosos da história do rock n'roll. No entanto, em uma entrevista, o vocalista principal do Led Zeppelin disse que se arrepende um pouco das composições que fez para o grupo. "Minha geração estava cantando sobre críticas sociais, enquanto eu vagava nas fronteiras da Grã-Bretanha pensando no Gollum", conta. 

+++LEIA MAIS: Phil Collins explica como ‘estragou’ o retorno do Led Zeppelin no Live Aid de 1985

Apesar disso ser verdade, é difícil imaginar o Zeppelin de outra maneira. Em vários momentos, os sons de Plant nos atingem mais do que qualquer palavra que ele possa ter escrito. Desde as primeiras apresentações da lendária banda, o tom de Plant importava (mais, provavelmente) do que as próprias palavras.

+++ LEIA MAIS: Robert Plant explica porque não se identifica mais com Stairway to Heaven, do Led Zeppelin

Algum tempo depois, enquanto Plant pensava nas composições do Presence, o baixista John Paul Jones enfatizou essa questão das letras - mas da maneira mais direta possível.

"Particularmente, Robert, nunca me preocupei em ouvir as letras de nenhum de nossos álbuns"

Simon Frith, crítico de rock e sociomusicologista, certa vez também falou que os som dos vocais do rock pesam mais do que as palavras.

+++ LEIA MAIS: Orgasmos, latas de lixo e explosivos: como nasceu o disco clássico Led Zeppelin II

"O tom da voz é mais importante do que a articulação real das letras", disse Frick.

"Podemos assim nos identificar com uma música, entendendo ou não as palavras". Isso, com certeza, pode se aplicar a Plant mais do que qualquer outro vocalista do rock. 


 +++ MELHORES DISCOS BRASILEIROS DE 2019 (PARTE 2), SEGUNDO A ROLLING STONE BRASIL