Rodrigo Santos, baixista do Barão Vermelho, divulga a capa do novo disco solo

Músico e produtor se prepara para lançar Motel Maravilha em junho; álbum terá a participação de Andy Summers, do The Police

Redação Publicado em 14/05/2013, às 13h13 - Atualizado às 19h21

Rodrigo Santos - Motel Maravilha
Divulgação

O produtor e músico Rodrigo Santos, baixista do Barão Vermelho, se prepara para lançar o quinto disco da carreira solo. O álbum, chamado Motel Maravilha, será lançado em junho.

A Rolling Stone Brasil apresenta, com exclusividade, a capa do novo trabalho, criada pelo artista e cenógrafo Zé Carratu, o mesmo que foi responsável pelo palco da recente turnê +1 Dose, do Barão Vermelho, realizada em 2012. Veja a acima e ampliada (aqui).

Barão Vermelho comemorou 30 anos do primeiro disco com show em São Paulo: a apresentação do grupo liderado por Frejat deu aula de rock nacional e fez bela homenagem a Cazuza.

O álbum foi gravado durante a turnê da banda. A ideia de Rodrigo foi buscar, no rock and roll, as mais diversas facetas. “Dessa vez ampliamos o passeio pelas linhas imaginarias que separam o rock do samba, do pop, do jazz, do rythm n´blues, do ska e até do punk-rock”, disse ele, em nota. Para esta miscelânea roqueira, o disco apresentará parcerias com sonoridades distintas, como Andy Summers, do The Police, George Isreal e Mauro Santa Cecília.

Motel Maravilha é o quinto trabalho solo de Rodrigo, mas sua discografia é extensa e vai além dos últimos 22 anos de Barão Vermelho. Rodrigo assina participações e parcerias nos álbuns de Lobão, Kid Abelha, George Israel, Moska, Frejat, entre outros.

A produção do disco ficou com Nilo Romero, o Midas da geração do rock nacional nos anos 80, cujo currículo inclui trabalhos com Cazuza, Marina Lima, Kid Abelha e Engenheiros do Havaí. “Nilo já havia produzido uma faixa do meu segundo CD solo”, explicou Rodrigo, referindo-se a “Não Vá”, que integra O Diário do Homem Invisível (2009). “Toda vez que eu chegava ao estúdio me deparava com surpresas maravilhosas: o Nilo gravou milhares de guitarras, baixos, teclados, percussões.”