Rolling Stone Festival: com participação de Guimê, Emicida faz show intenso e presta homenagem à Chapecoense

“Eu quero dedicar esse momento aos nossos irmãos que tiveram seus sonhos interrompidos”, disse ele

Luísa Jubilut Publicado em 03/12/2016, às 21h57 - Atualizado em 09/12/2016, às 15h58

-

Ver Galeria
(17 imagens)

A persistente chuva paulistana apertou para receber Emicida no Palco Devassa Puro Malte, o principal do Rolling Stone Festival. O rapper encarou o público em silêncio antes de dar início à apresentação, que contemplou diferentes fases de sua carreira. “E aê, Barra Funda, satisfação”, cumprimentou. “Quando chove assim é porque São Pedro tá aqui e porque ele gosta de rap.”

Após abrir o repertório com "Cabelo Arrepiado", de MC Lon, ele chamou ao palco um convidado inesperado, mas não por isso menos bem-vindo. MC Guimê entrou em campo para cantar “Gueto”, do disco O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui, um trecho de "Rap Da Felicidade", de Cidinho e Doca e, como não poderia deixar de ser, "País do Futebol".

Emicida deu continuidade ao show ao lado dos parceiros Coruja e Muzzike, mas não sem antes mostrar no telão a cena de empoderamento negro de Ó, Paí, Ó em que Roque (Lázaro Ramos) encara o racismo de Boca (Wagner Moura): "Eu sou negro, sim, mas por acaso o negro não tem olhos, Boca? Negro não tem mão, não tem pau, não tem sentido, Boca? Não come da mesma comida? Não sofre das mesmas doenças, Boca?"

Na hora de “Hoje Cedo”, cantada originalmente em parceria com Pitty, que foi substituída pela irreverente Anna Tréa, Emicida pediu a atenção do público: “Eu quero dedicar esse momento aos nossos irmãos que tiveram seus sonhos interrompidos”, disse ele, referindo-se ao trágico acidente de avião que matou 71 pessoas, entre elas, integrantes do time e da equipe do clube Associação Chapecoense de Futebol. “E que os corações de seus familiares e amigos encontrem paz.”

"Mandume", destaque de Sobre Crianças, Quadris, Pesadelos e Lições de Casa... , contou com a participação da cantora Drik Barbosa, que descarregou energia durante seu verso, e do rapper Amiri. O momento ganhou ainda mais força com a performance impecável da banda de Emicida, que deu tudo de si nos momentos finais da apresentação.

“Acho bom a gente lembrar que rock’n’roll também é música de preto!”, anunciou ele, pouco antes de se despedir do público, que viu, aos poucos, a chuva dar lugar a um arco-íris. “Aproveitem, que o baile tá daora.”

PALCO DEVASSA PURO MALTE

CAPITAL INICIAL: 23h – 0h30h

TITÃS: 21h30 – 22h30

FREJAT: 20h – 21h

PALCO DEVASSA SENTE O CLIMA

SEPULTURA: 22h30 – 23h45

REPUBLICA: 21h – 22h

FAR FROM ALASKA + EGO KILL TALENT: 19h30 – 20h30

Acompanhe a cobertura do festival pelas nossas redes sociais: Estamos no Twitter (@rollingstonebr), Facebook (/rollingstonebrasil) e Instagram (@rollingstonebrasil). Poste seus vídeos e fotos com a hashtag #rollingstonefestival e marque a gente!