Roman Polanski continua detido pelo menos até sexta, 4

Diretor rumaria para prisão domiciliar sob fiança equivalente a R$ 7,8 milhões, mas ainda não pagou a quantia

Da redação Publicado em 01/12/2009, às 15h06

Roman Polanski deve permanecer na prisão pelo menos até sexta-feira, 4, afirmaram autoridades suíças. O diretor franco-polonês havia pedido libertação sob fiança para o Tribunal Penal Federal de Bellinzone. O apelo foi aceito, mas Polanski precisa de mais tempo para angariar a quantia, que corresponde a R$ 7,8 milhões (€ 3 milhões). A informação é dá agência de notícias Associated Press.

Porta-voz do Ministério da Justiça local, Folco Galli assegurou que o cineasta, detido no país desde 26 de setembro sob acusação de ter tido relações sexuais com uma garota de 13 anos em 1977, não irá a lugar algum até quitar o valor integral da fiança. O plano é sair da cadeia para uma prisão domiciliar, em um chalé que mantém no vilarejo de Gstaad, de onde será monitorado eletronicamente por meio de bracelete digital.

No local, Polanski aguardará a decisão da Justiça suíça sobre ser extraditado ou não para os Estados Unidos. O diretor, hoje com 76 anos, fugiu do país americano em 1978, pouco depois de ser acusado (e se declarar culpado) de violentar a adolescente Samantha na casa de Jack Nicholson. Foi preso mais de três décadas depois, quando foi receber uma homenagem pelo conjunto de sua obra em um festival de cinema na Suíça - país que tem acordo de extradição com os EUA e onde há anos ele mantém casa.

Responsável por filmes como O Bebê de Rosemary e O Pianista, Polanski estava terminando seu mais recente filme, The Ghost, de dentro do cárcere. O thriller político tem no elenco Ewan McGregor, Pierce Brosnan, Kim Cattrall e Tom Wilkinson.