Roteirista explica censura de De Volta Para o Futuro na Netflix; entenda

Bob Gale disse que a versão censurada veio direto dos estúdios Universal por engano

Redação Publicado em 27/05/2020, às 11h34

None
De Volta para o Futuro (foto: reprodução/ Universal Studios)

A chegada da aclamada trilogia de sci-fi De Volta Para o Futuro no catálogo norte-americano da Netflix levantou muita polêmica. O segundo filme da franquia veio com a famosa cena em que  Marty McFly (Michael J. Fox) folheia por engano a revista erótica Oh La La censurada.

Pouco tempo depois, o roteirista original de De Volta Para o Futuro, Bob Gale, já tinha entendido a situação e veio a público para acalmar os fãs enfurecidos. O corte com a sequência censurada tinha sido enviado por engano pelos estúdios Universal, a Netflix não tinha culpa.

+++ LEIA MAIS: 8 detalhes em De Volta Para o Futuro que você provavelmente não percebeu [LISTA]

"A Universal enviou para o streaming uma versão estrangeira que nem eu nem Robert Zemeckis [diretor] sabíamos que existia, para um país com problema com a capa de Oh La La", disse Gale via tuíte.

Os roteiristas afirmaram ter se comunicado com o estúdio, que já disponibilizou o filme na íntegra no catálogo da plataforma. “Só para vocês saberem, a Netflix não edita filmes – eles exibem a versão que lhes foi enviada. Então eles não têm culpa. Vocês podem direcionar sua ira à Universal, mas acho que ela será bem mais cuidadosa no futuro – e com o Futuro”, concluiu.

+++ LEIA MAIS: 6 previsões tecnológicas que De Volta para o Futuro acertou - e 6 que errou

Reveja a cena clássica do 'Oh La La' abaixo:


+++ VITOR KLEY | A TAL CANÇÃO PRA LUA | SESSION ROLLING STONE