No RS Festival, bandas ex-Superstar ganham espaço e admitem tietagem a veteranos

Bellamore, Playmobille e Plutão Já Foi Planeta abriram os trabalhos no palco Devassa Sente o Clima, no último sábado, 3, em São Paulo

Lucas Brêda Publicado em 05/12/2016, às 19h57 - Atualizado às 20h25

Bellamore, Playmobille e Plutão Já Foi Planeta no Rolling Stone Festival
Fernando Pires

O Rolling Stone Festival aconteceu no último sábado, 3, no Memorial da América Latina, em São Paulo, reunindo grandes nomes da música nacional, como Capital Inicial, Titãs, Sepultura, Emicida e Ira!, entre tantos outros. Um dos palcos do evento, o Devassa Sente o Clima, abriu espaço para novas bandas, especialmente três delas que participaram da mais recente edição do reality da TV Globo, SuperStar.

Bellamore, Playmobille e Plutão Já Foi Planeta fizeram os primeiros shows do palco, considerado “alternativo” do festival, onde também se apresentaria Paulo Ricardo, que participou do SuperStar como jurado (o show dele foi cancelado devido às condições climáticas). “Procuro fazer com que isso continue”, disse o vocalista do RPM no backstage. “Que não se restrinja ao período do programa e que possamos manter isso em ocasiões como essa.”

LEIA TAMBÉM

Bellamore mesclou repertório autoral com hits do Superstar

Playmobille prestou homenagem à Chapecoense no RS Festival

Plutão Já Foi Planeta abriu o festival com performance poética e desenvolta

“Nós já temos uma estrada de três e o programa serviu para amplificar o que nós já tínhamos”, conta a vocalista do Plutão Já Foi Planeta, Natalia Noronha, revelando que o grupo atualmente tem “agenda entupida”. Para Paulo Ricardo, “Plutão é ‘uma coisa’, é quase tipo um novo Mutantes”. “A Natalia é um talento fora do comum – e as músicas são ótimas”, completa o ícone do rock nacional.

O Playmobille, cujo show contou com uma homenagem às vítimas do acidente de avião com a delegação da Chapecoense, estava fazendo a primeira apresentação em um festival das proporções do da Rolling Stone. “Já tocamos em outros, mas nenhum com essa magnitude”, pontua o vocalista e guitarrista, Gugu Peixoto. O baterista Bruno Dantas emenda: “Aproveitamos essas oportunidades para testar algumas músicas novas ao vivo.”

Mais “jovem”, a banda carioca Bellamore – com quem Paulo Ricardo admite ter “muito afinidade, por eles colocarem o eletrônico no rock” – apresentou uma cover de “R U Mine”, do Arctic Monkeys, e uma versão pop de “Come Together”, dos Beatles. Mas o quarteto também mostrou o novo single, “Órbita”, entre outras faixas que estarão no próximo trabalho do grupo, Continua, a ser lançado ainda neste mês de dezembro.

Além de “Órbita”, a já conhecida “Teu Talento” também integra o lançamento, que, segundo a banda, não será um disco nem um EP, mas algo como um “mini álbum”, com seis faixas. “[Tem esse nome] Porque as músicas são em sequência, tem uma história que as liga”, explica o vocalista, Pedro Lopes. “Vamos lançar um trabalho maior, mas não tão grande quanto um disco. E em janeiro já vamos começar a trabalhar com singles”. A nova música do Bellamore, aliás, contará com participação de Paulo Ricardo.

A passagem pelo Rolling Stone Festival também serviu para aproximar os “novatos” de alguns veteranos da música brasileira. E não só Paulo Ricardo foi tietado com selfies e troca de ideias. “Poxa, eu nunca vi um show do Sepultura”, disse Gugu Peixoto, do Playmobille. Bruno Dantas acrescentou, deixando escapar um sorriso: “O Andreas Kisser, porra! [Risos] Tem que tirar uma fotinha com ele.”