Pulse

Se o legado de Michael Jackson for destruído, a culpa é dele, diz produtor do Rei do Pop

''Se o legado de Michael Jackson for destruído por isso, a pessoa responsável é Michael Jackson e mais ninguém'', afirma o produtor

Redação Publicado em 19/03/2019, às 11h51

None
Michael Jackson (Foto: Agent Press)

Ao estrear no Reino Unido, no início deste mês, o documentário Deixando Neverland, dividiu opiniões e fez com que fãs fossem às ruas de Londres para protestar contra a transmissão, enquanto as rádios, de todo o mundo, proibiram as músicas de Jackson.

Deixando Neverland (cujo título em inglês é Leaving Neverland) é dividido em duas partes, e foca no testemunho de Wade Robson, 36, e James Safechuck, 41, que afirmam ter sofrido abuso sexual quando eram crianças pelo artista Michael Jackson.

O produtor e documentarista Rudi Dolezal, que trabalhou com Jackson durante vários anos, a partir de Dangerous em 1992, disse que o rei do pop era ''um predador''.

Em entrevista para a PageSix, Dolezal diz ver verdade em Deixando Neverland: ''Eu acredito em quase todas as palavras. É um trabalho brilhante.''

''É difícil acreditar que um ícone não seja mais um ícone'', acrescenta.

Dolezal também fala sobre como o pai de Michael, Joe Jackson, submeteu ao artista uma infância traumática, incluindo a forma abusiva de como ele o ensinou a dançar mais rápido.

''Ele colocou o menino de quatro anos em cima de um fogão quente com os pés descalços'', conta Dolezal. ''Pela forma como ele conta, ele não se arrepende. Eu me senti muito triste pelo Michael. Ele odiava o pai''.

''Mas, se o legado de Michael Jackson for destruído por isso, a pessoa responsável é Michael Jackson e mais ninguém'', afirma o produtor.

Na segunda-feira, 18, o diretor de Deixando Neverland, Dan Reed, negou as alegações do advogado que representou Jackson durante o seu julgamento em 2005 por abuso sexual infantil, segundo o qual, as imagens incluídas no documentário teriam sido utilizadas ''fora de contexto''.

A sobrinha de Jackson, Brandi, também se manifestou e afirmou que os acusadores eram ''mentirosos'' e ''motivados por dinheiro''. Aaron Carter também questionou os motivos das denúncias e disse que as testemunhas estavam ''pisando no túmulo de uma lenda''.

No início do mês, o sobrinho de Jackson, Taj, confirmou à NME que ele estava trabalhando em um contra-documentário para contestar as alegações feitas em Deixando Neverland. Alguns fãs do astro anunciaram na semana passada os seus planos de processar Wade Robson e James Safechuck por ''contaminarem'' a memória de Jackson.

Michael Jackson negou qualquer denúncia feita antes de morrer em 2009.

Algoritmo da Vida: novo projeto da Rolling Stone Brasil busca sintomas de depressão nas redes sociais para prevenção do suicídio: