Run-D.M.C. processa Amazon e Walmart em US$ 50 milhões

Jet.com e outros varejistas parceiros também estão sendo processados pelo grupo de hip-hop

Rolling Stone EUA Publicado em 30/12/2016, às 15h38 - Atualizado às 17h37

O trio de hip-hop Run-D.M.C. em 1986
Peter Kemp/AP

Darryl “D.M.C.” McDaniels, um dos fundadores do grupo veterano de hip-hop Run-D.M.C., abriu um processo avaliado em US$ 50 milhões contra os varejistas Amazon, Walmart e Jet.com – além de outros parceiros das empresas. Segundo a agência Reuters, o motivo seria o uso indevido da marca registrada do nome do trio em mercadorias comercializadas pelas empresas.

LEIA TAMBÉM

HQ conta a "genealogia do hip-hop" norte-americano

Adidas homenageia Run-D.M.C. em coleção

Os cinco melhores álbuns de hip-hop nacional

O processo alega que a distribuição de produtos associados sem permissão ao Run-D.M.C. leva os consumidores a crer que os mesmos foram autorizados pelo grupo. Entre as mercadorias acusadas de se apropriarem indevidamente do nome do coletivo de hip-hop estão óculos, chapéus, camisetas, carteiras, entre outros. Tais objetos trazem o nome da banda na descrição ou então carregam o seu emblemático logotipo.

McDaniels diz no processo que a marca Run-D.M.C. é “extremamente valiosa” e cita os acordos de licença para reprodução da marca, tal como o da Adidas, que em 2014 firmou uma parceria com o coletivo. Caso a venda indevida não seja interrompida, as empresas poderão sofrer “imediato e irreparável prejuízo".

Um representante do Run-D.M.C. recusou-se a comentar o caso. O mesmo aconteceu com as empresas Amazon, Walmart e Jet.com, que não deram resposta à Reuters.