Russell Crowe revela ter recebido trotes de Michael Jackson e ameaças da Al-Qaeda

“Durou dois ou três anos”, disse o ator australiano sobre brincadeiras do Rei do Pop

Redação Publicado em 31/03/2015, às 11h18 - Atualizado às 13h52

Russell Crowe documenta perda de peso no Twitter
AP

Michael Jackson tinha o hábito de passar trotes para grandes celebridades ou, pelo menos, para Russell Crowe, conforme revelou o ator em entrevista ao jornal inglês The Guardian.

Exclusivo: ex-empresário do Guns N' Roses diz que Michael Jackson foi motivo da separação da banda.

“Durou dois ou três anos. Nunca o conheci pessoalmente e nunca apertei a mão dele, mas ele descobriu o nome que eu usava para me hospedar em hotéis. Então, não importava onde eu estivesse, ele me ligava para passar um trote. Michael fazia esse tipo de coisa que as crianças adoram quando têm dez anos, sabe?”

Noé, dirigido por Darren Aronofsky, leva para as telas a famosa história bíblica.

O vencedor do Oscar de Melhor Ator em 2001, por Gladiador, também contou durante a entrevista sobre o período em que viveu sob proteção do FBI por uma ameaça terrorista. “Até hoje ainda não sei que o que aconteceu. Tudo o que eu sei foi que cheguei em Los Angeles, fui para o hotel, comecei a desfazer a mala, alguém bateu na porta e uma equipe do FBI queria sentar e discutir alguma coisa comigo", afirmou.

Russell Crowe veio ao Brasil para divulgar Noé em 2014.

"Então, por quase dois anos, eles ficaram por perto. Lembro de ir ao Globo de Ouro e ter 16 seguranças comigo. Eu nem sabia o motivo. Eles não me davam nenhum detalhe. E, claro, as pessoas pensavam, ‘Olhe para ele, achando que é a porra do Elvis’. Então, um dia, eles simplesmente desapareceram”.

Presente nos elencos dos recentes Noé e O Homem de Aço, Crowe dirigiu em 2014 o primeiro longa-metragem da carreira dele, Promessas de Guerra, previsto para chegar ao Brasil em maio deste ano.