Rússia nega pedido da série House of Cards, que planejava gravar cenas na Câmara do Conselho de Segurança da ONU

País europeu é um dos cinco entre os 15 com poder de veto nas decisões do Conselho

Redação Publicado em 03/07/2014, às 19h48 - Atualizado às 20h15

House of Cards
Reprodução

A série de política norte-americana House of Cards não poderá gravar cenas na Câmara do Conselho de Segurança das Nações Unidas, em Nova York. De acordo com o Washington Post, os produtores da série entraram em contato com o conselho de 15 países para rodar dois episódios no local, enquanto a sala não estivesse em uso. A Rússia – um dos cinco países com poder de veto – negou o pedido.

Análise: na excelente House of Cards, a sede por poder político de Kevin Spacey leva o mal para outro nível.

Em uma situação que se encaixariam perfeitamente no enredo da série, alguns diplomatas pediram anonimato ao dar a informação de que as gravações não poderiam acontecer no local - alegando que as discussões sobre o assunto foram privadas. Nesta quarta, 2, o embaixador da França, Gerard Araud, afirmou: "É desapontador para nós diplomatas, porque nós queríamos ver os atores, mas, por outro lado, é reconfortante, porque eu acho que os atores seriam muito mais elegantes do que nós mesmos".

Segunda temporada de House of Cards: a série diabólica fica ainda mais sombria.

A terceira temporada da série da Netflix – já confirmada – está sendo rodada, dando continuação à história do político cruel e pragmático Frank Underwood (Kevin Spacey) na Casa Branca. O segundo ano de House of Cards foi ao ar no último mês de fevereiro.