Rolling Stone
Busca
Facebook Rolling StoneTwitter Rolling StoneInstagram Rolling StoneSpotify Rolling StoneYoutube Rolling StoneTiktok Rolling Stone

Salman Rushdie volta a escrever nove meses após ser esfaqueado

Autor sofreu um atentato em agosto do ano passado durante uma palestra em Nova York

Salman Rushdie chegou a perder a visão de um dos olhos e o movimento de uma mão (Foto: Ben Pruchnie/Getty Images)
Salman Rushdie chegou a perder a visão de um dos olhos e o movimento de uma mão (Foto: Ben Pruchnie/Getty Images)

Salman Rushdie, escritor anglo-indiano de 75 anos voltou a escrever após sofrer um atentado em agosto do ano passado. Famoso por seus romances, o escritor anglo-indiano se preparava para uma palestra quando foi esfaqueado no pescoço por um homem que invadiu o palco do evento. Rushdie chegou a perder um olho e os movimentos de uma mão. 

O escritor foi homenageado nesta terça-feira, 23, no Reino Unido, e anunciou que voltou a escrever. Posou para fotos e recebeu uma medalha no Castelo de Windsor, ao oeste de Londres, das mãos da princesa Anne, irmã do rei Charles III (via O Globo).

+++LEIA MAIS: Salman Rushdie perdeu a visão e movimento de uma das mãos após atentado em agosto

Me recuperei muito bem e por isso pude vir. Precisei dar um tempo" — indicou o autor.

Atentado

O autor Salman Rushdie foi atacado no dia 12 de agosto, em Nova York, nos Estados Unidos. Famoso por seus romances, o escritor anglo-indiano se preparava para uma palestra quando foi esfaqueado no pescoço por um homem que invadiu o palco do evento.

Segundo nota policial enviada à BBC, o suspeito responsável pelo ataque, que aconteceu por volta das 10h30 no horário local, já foi detido, mas não teve sua identidade ou motivação divulgadas. Salman Rushdie, por sua vez, foi socorrido após levar diversas facadas e acabou sendo levado às pressas para o hospital.

+++LEIA MAIS: David Bowie: Documentário causou ataque do coração, diz diretor

Rushdie atualmente vive sob guarda policial do Reino Unido, depois que se tornou um alvo das autoridades iranianas em 1988. Naquele ano, o autor lançou Os Versos Satânicos, um romance de fantasia que, para a fé islâmica, é considerado ofensivo a Maomé.

Quando a obra foi divulgada, inclusive, o então aiatolá Ruhollah Khomeini chegou a defender a ideia de que o autor deveria ser morto, de acordo com a Folha. Em 1989, então, um atentado contra a vida de Rushdie acabou fracassando e, mais tarde, a perseguição ao escritor foi mantida pelas autoridades religiosas do Irã, em 2005.

+++ LEIA MAIS: Elon Musk revela conversa com Kanye West após tuíte antissemita

Anos depois, já em 2021, o autor publicou seu mais recente romance, Quichotte, inspirado no clássico de Cervantes. A narrativa conta com dois protagonistas fictícios, o autor Sam DuChamp e o vendedor Quichotte (criado pelo próprio escritor imaginário) e retrata um “país à beira do colapso moral e espiritual”, segundo narrado pela sinopse da obra.