Salsicha do amor: criador de The Boys explica cena de membro gigante que chocou o público

O momento curioso e bizarro apareceu no sexto episódio da segunda temporada

Redação Publicado em 01/10/2020, às 08h58

None
Cena de The Boys (Foto: Reprodução)

[Atenção: esta publicação pode ter spoilers de The Boys]

Após The Boyschocar os espectadores com a aparição do Salsicha do Amor no sexto episódio da segunda temporada, o criador da série Eric Kripke explicou como a cena do membro gigante do personagem foi produzida. (Via Tec Mundo e Hugo Gloss)

Em “The Bloody Doors Off”, os Rapazes descobrem que a Vought testou o Composto V não só em bebês, mas em adultos também. Ao entrarem na empresa, Leitinho ,Francês e Kimiko acabam soltando algumas das experiências e são atacados pelo Salsicha do Amor

+++ LEIA MAIS: The Boys: uniforme de Homelander tem referências fascistas que você nunca reparou; veja

A cena é realmente bizarra. Os personagens estão em uma sala e ouvem batidas na porta. Então, Leitinho caminha até a entrada e é enforcado por um pênis gigante. “Aquilo era… era a porr* do pint* dele”, diz o personagem após o ataque. Como resposta, Francês, fala: “Não tenha uma mente fechada”. 

Em entrevista à Entertainment Weekly, Kripke contou que o Salsicha do Amor foi o personagem ideal para criar um cena chocante no Centro Save Grove. Mas, mesmo assim, não foi tão fácil criar um momento insano. 

+++ LEIA MAIS: Versão de Wolverine em The Boys tem os poderes mais esquisitos

“O Salsicha do Amor surgiu razoavelmente tarde no desenvolvimento do roteiro. Tínhamos alguns rascunhos escritos, mas, às vezes, chegamos em um ponto, como fizemos neste, em que dissemos: 'Quer saber? Não é maluco o suficiente. Estamos perdendo aquele momento que faz as pessoas dizerem: ‘Put* merd*’.”

Kripke explicou que a cena foi feita com um boneco e um animatrônico de três metros em formato de pênis. Depois, a equipe de efeitos especiais editou a cena para deixar o membro mais realista no momento do estrangulamento. 

“Nós tivemos longas reuniões em que esses artesãos e especialistas me perguntaram  sobre a quantidade de veias. ‘Quantas veias deve ter?’. Nós passamos 20 minutos [falando] sobre ser circuncidado. E chegamos ao ‘não, não deveria ser’, mas eu sou pago para ter essas conversas”. 


+++ HOT E OREIA: 'VIRAMOS ADULTOS, MAS AINDA BUSCAMOS POR ESSA CRIANÇA DO COMEÇO'