Pulse

Sandra Bullock conta em São Paulo que filmar vendada causou tropeços e cabeçadas nas câmeras

Atriz veio participar da Comic Con Experience (CCXP) e apresentar Bird Box, filme que estreia na Netflix em 21 de dezembro

Yolanda Reis Publicado em 10/12/2018, às 07h22

None
Sandra Bullock em cena com o ator Julian Edwards (Foto: Netflix / Divulgação)

Com a presença da protagonista Sandra Bullock, a Netflix exibiu para o público presente no principal auditório da CCXP (Comic Con Experience), em primeira mão, o filme Bird Box (o Brasil chamado de Caixa de Pássaros), dirigido por Susanne Bier e estrelado pela atriz norte-americana, com previsão de estreia para o dia 21 de dezembro na plataforma de streaming.

Após a pré-estreia, Sandra Bullock (intérprete da personagem Malorie), Trevante Rhodes (Tom) e o produtor Dylan Clark subiram ao palco para uma entrevista, e revelaram diversos segredos do filme.

A história se desenvolve em um mundo apocalíptico, no qual Melorie, grávida, perde a irmã Jessica, vivida por (Sarah Paulson), após essa ser possuída por uma entidade que faz com que a pessoa tire a própria vida. É uma epidemia que se espalhou pelo mundo inteiro, causando caos completo.

Malorie se abriga na casa de Douglas (John Malkovich] e encontra outro grupo de sobreviventes. Lá, descobrem que só é afetado quem olha para as entidades. Diante disso, passam pelo desafio de aprender a sobreviver sem enxergar o mundo. Como uma forma de driblar o problema, usam vendas o tempo inteiro.

Além disso tudo, a personagem ainda precisa criar duas crianças, interpretados Julian Andrews e Vivien Lyra Blair.

Entre um dos principais desafios descritos pela atriz foi gravar sem enxergar nada. Ela revelou que evitava cobrir totalmente os olhos, mas mesmo assim, tropeçava o tempo inteiro, chegando a bater a cabeça diversas vezes na câmera, causando preocupação na equipe.

Outro ponto que causou conflito na estrela foi o jeito como teve que tratar as crianças. A personagem é estúpida , e constantemente grita, ameaça e bruta com os pequenos. Antes de todas as cenas, Sandra conversava com ambas, explicando o que ia acontecer, - como por exemplo arrastá-las pelos locais e colocá-las no chão bruscamente.

Depois de terminadas as filmagens, dava-lhes carinho e doces.

Sobre dividir a tela com Sarah Paulson, assegurou que adorou. A diretora do longa, Susanne Bier, pediu para que Sandra sugerisse uma atriz que fosse fazer com que ela sentisse dor ao perder a irmã, e na hora, a colega veio em sua cabeça, e ambas adoraram a ideia. "Então contratamos ela só para matar cinco minutos depois", brincou.