Scott Pilgrim sincroniza com disco do Smashing Pumpkins, assim como Dark Side of The Moon e O Mágico de Oz?

O diretor Edgar Wright e Bryan Lee O'malley falaram sobre isso no DVD do filme

Redação Publicado em 10/08/2020, às 11h09

None
Cena de Scott Pilgrim contra o Mundo

Há anos atrás, um teoria de fãs do Pink Floyd sugeriram que o disco The Dark Side of the Moon (1973) tem sincronia com o filme O Mágico de Oz (1939). O nome dado para essa junção foi The Dark Side of the Rainbow. Em 2010, outro longa ganhou teorias de sincronização com o álbum. Nesse caso, a produção foi Scott Pilgrim contra o Mundo e Mellon Collie and the Infinite Sadness, do Smashing Pumpkins. A informação é do CBR.

O canal Trash Theory explicou ambas as especulações. Enquanto a teoria de The Dark Side of the Rainbow foi criada por fãs, todo o papo da sincronia de Scott Pilgrim e Mellon Collie surgiu com Bryan Lee O'Malley, escritor das HQs que inspiraram o filme e Edgar Wright, diretor da adaptação.

+++LEIA MAIS: Scott Pilgrim: 7 diferenças entre as HQs e o filme que se tornou cult

"Existe um álbum que você acha que deveria ser tocado ao lado de Scott Pilgrim, no estilo Dark Side of the Moon?", perguntou o cineasta ao quadrinista nos comentários do DVD do filme. O'Malley respondeu: "Sim, talvez algo dos Smashing Pumpkins".

Bryan Lee O'Malley também sugeriu o disco Gish, primeiro da banda, antes de Wright trazer a ideia do Mellon Collieand the Infinite Sadness, porque este último é um álbum duplo e a duração é maior que a do filme.

Gish foi lançado em 1995 e tem 28 faixas no total e dura cerca de duas horas e dois minutos, 10 minutos a mais que Scott Pilgrim.

+++LEIA MAIS: Dossiê Scott Pilgrim: Como a saga de jovem apaixonado contra ex-namorados se tornou cult tão rápido?

O jeito no qual a conversa deles sobre os comentários (via CBR) dá a entender que Wright não planejava fazer o filme coincidir com um álbum do Smashing Pumpkins, mas surgiu uma teoria dos fãs de que poderia ter mais peso do que The Dark Side of the Rainbow, porque a imagem da banda está no filme.

Scott Pilgrim é visto com duas camisetas diferentes do Smashing Pumpkin no longa, e O'Malley intitulou o terceiro volume da HQs do personagem como Infinite Sadness, referência direta a Mellon Collie.

+++LEIA MAIS: 10 anos de Scott Pilgrim: Elenco se reúne em vídeo para leitura do roteiro completo

Em uma entrevista de 2010 ao FluxBlog, Bryan Lee O'Malley falou do motivo de ter essa referência ao Smashing Pumpkins. "Eles foram minha outra banda no colégio e no início da faculdade, então, como eu estava olhando para aquele período da minha vida, achei que iria ouvir aquela música novamente", revelou o autor. "E Infinite Sadness é apenas uma espécie de brincadeira com um tipo de título de Harry Potter. Harry Potter and the Infinite Sadness".

Mesmo com vários textos sobre como a sincronia poderia funcionar, reproduzir o filme e o álbum juntos tem momentos interessantes e inconsistentes. Se começar a ouvir o disco oito segundos antes do longa, a música "Tonight, Tonight" coincide com o Sex Bob-Omb de Scott Pilgrim tocando a própria música, mas toda aquela música dramática continua em uma cena tranquila no apartamento do protagonista.

+++LEIA MAIS: Scott Pilgrim: 7 detalhes perdidos que você (provavelmente) não percebeu no filme que se tornou cult

No entanto, a trilha sonora original de Scott Pilgrim contra o Mundo é boa demais para ser superada por Mellon Collie and the Infinite Sadness como o tema musical definitivo de todo filme.


+++RAP, FUNK E PAGODE NA ENTREVISTA COM OROCHI: 'SOU ESSA MISTURA LOUCA' 


+++ PLAYLIST COM CLÁSSICOS DO ROCK PARA QUEM AMA TRILHAS SOBRE DUAS RODAS