Pulse

Scott Stapp, voz do Creed, deixa álcool e drogas para trás e volta ao Brasil para celebrar a vida: 'Sempre há cura' [ENTREVISTA]

Durante uma conversa com a Rolling Stone BR, o vocalista falou sobre a batalha pela sobriedade e aconselhou a nova geração de artistas

Lorena Reis Publicado em 13/11/2019, às 13h00

None
Scott Stapp se apresenta no Brasil (Foto: Sebastian Smith/Divulgação)

Scott Stapp, ex-vocalista e fundador da banda Creed, vem ao Brasil para uma série de apresentações. Entre os dias 8 e 17 de novembro, o músico passará, respectivamente, pelas cidades de Fortaleza, Porto Alegre, Curitiba, Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo.

Aos 46 anos, o cantor e compositor norte-americano desembarca em território nacional para divulgar seu primeiro álbum solo em seis anos, The Space Between the Shadows, lançado no dia 19 de julho e disponível em todas as plataformas digitais.

E, assim, depois de lutar arduamente contra o uso excessivo de álcool, drogas e medicamentos para distúrbios de ansiedade, o músico retorna às suas raízes musicais com um disco cru, honesto e humano.

+++ Leia mais: A nova vida de Scott Stapp, voz do Creed, agora inclui ser técnico de beisebol do filho e fumar vaporizadores

Em entrevista exclusiva para a Rolling Stone Brasil, Stapp conta como ele superou os obstáculos que estavam em seu caminho e compôs The Space Between the Shadows.

"Tudo começou com a decisão de me entregar à sobriedade, abandonando o álcool e as drogas. Eu passei um tempo com a minha esposa e meus filhos, apenas sendo marido e pai. Isso me fez refletir sobre mim, sobre tudo o que eu passei, tudo o que eu observei. Hoje, eu realmente tenho uma perspectiva mais clara sobre as coisas", revelou.

+++ Leia mais: Ex-Creed, Scott Stapp lamenta morte de Chris Cornell e Chester Bennington: "Poderia ter sido eu"

Depois de anos e anos longe dos holofotes, a inspiração que o trouxe de volta para o cenário musical veio com os erros e aprendizados. "Essa reflexão, introspecção e observação começaram a me preencher de ideias, pensamentos, conceitos - foi assim que eu comecei a trabalhar em The Space Between the Shadows", explicou.

A intenção de Stapp é, acima de tudo, transmitir uma mensagem para o mundo: "Não importa o que você passou na sua vida. Não importam as emoções, dificuldades ou desafios que você venha a enfrentar. Há sempre esperança e cura. Há sempre um caminho no qual você é salvo da escuridão."

E é por isso que o disco se chama The Space Between the Shadows. "No 'espaço entre as sombras', tem luz, cor, felicidade e paz - creio que essa seja a essência do álbum."

+++ Leia mais: Vocalista do Creed ouve vozes e está paranoico por conta do uso de drogas, diz site

Além de ser um dos discos mais vendidos nos Estados Unidos e Reino Unido, The Space Between the Shadows entrou para o top #10 dos rankings de Rock e Indie da Billboard, dando ao músico um "senso de gratificação" e de dever cumprido.

"Quando um trabalho chega ao topo das paradas tão rápido, você tem a certeza de que sua música está realmente se conectando com o mundo", revelou. "E é isso o que eu sempre quis como artista: saber que não estou sozinho neste mundo. Sentir que as experiências que eu compartilho também dialogam com outras pessoas."

+++ Leia mais: Scott Stapp, líder do Creed, se tratou do transtorno bipolar e agora é uma personalidade da música e da TV

Durante a conversa, Stapp também desabafou sobre os arrependimentos que ele tem do passado e aconselhou a nova geração de artistas.

"Na minha juventude, eu acreditava que ser uma estrela do rock não estava somente na música, e, sim, nas festas e na vida fácil", ele contou. "Eu achei que era assim que as coisas deveriam ser. Mas você não pode viver sua vida inteira tentando agradar todo mundo. Você só pode ser você mesmo, então faça o que é verdadeiro a si, à sua arte, ao seu público."

E continuou: "O que eu percebi foi que essa negatividade destrói você como artista, como ser humano. Lá fora, existem muitos artistas caindo nessa armadilha da indústria do entretenimento e, principalmente, do rock and roll. A essas pessoas, eu diria: deixe sua arte e criatividade ser a sua droga. Fique 'chapado' com a sua performance, porque, afinal, nada mais importa."

Confira os próximos shows de Scott Stapp no Brasil:

  • 13/11 - Curitiba, no Reconcert
  • 14/11 - Brasília, no Toinha Show
  • 16/11 - Rio de Janeiro, no Circo Voador
  • 17/11 - São Paulo, na Audio