"Scream for me, São Paulo!"

Iron Maiden leva 63 mil pessoas ao autódromo de Interlagos na noite de domingo, 15, no maior show da história da banda

Por Marcelo La Farina Cabrera Publicado em 16/03/2009, às 09h40

A já esperada chuva em São Paulo neste domingo, 15, transformou o espaço à frente do palco montado no autódromo de Interlagos num mar de lama, prejudicou a qualidade dos telões e atrasou o show em exata uma hora. Porém, não chegou nem perto de ofuscar a segunda passagem da turnê Somewhere Back In Time pela capital: o Iron Maiden fez o maior show de sua história, e nunca teve um público tão numeroso (63 mil pessoas), a não ser em festivais onde dividia espaço com outras atrações.

Três horas antes do horário previsto para o início da apresentação (20h), o trânsito já se fazia intenso nos arredores do aeroporto de Congonhas, a cerca de seis quilômetros do autódromo. Sem nenhuma estação de trem ou metrô por perto, o jeito foi recorrer a carros e ônibus para chegar ao local, fazendo com que o domingo na capital paulista tivesse engarrafamentos dignos de uma sexta-feira pré-feriado.

Por volta das 19h30, um dos integrantes da equipe técnica da banda pegou o microfone para avisar que "devido à forte chuva que caiu durante a tarde em São Paulo, muitas pessoas tiveram dificuldades para chegar até aqui e ainda estão na fila de entrada. O show vai atrasar; pedimos desculpas e paciência". Antes disso, Lauren Harris, filha do baixista do Maiden, Steve Harris, se apresentou com sua banda, não sendo muito bem recebida pelo público, que se preocupou mais em caçoar dos pés descalços e ossudos da moça.

Finalmente, às 21h, as luzes se apagaram para o que viria a ser um verdadeiro espetáculo recheado de explosões pirotécnicas, participação maciça do público e os maiores sucessos produzidos pela banda durante a década de 1980 e começo de 1990. Contudo, o Iron Maiden não se afastou em nada do set list apresentado no Rio de Janeiro no sábado e abriu a noite com "Aces High", "Warthchild" e "2 Minutes To Midnight". Sem surpresas, "Children Of The Damned" e "Phantom Of The Opera" vieram em seguida.

O primeiro ponto de êxtase total dos presentes foi quando Bruce Dickinson vestiu um casaco vermelho, como os usados pelo exército britânico durante a primeira Guerra Mundial, e tal qual um acompanhante de mestre sala, desfilou pelo palco com uma bandeira do Reino Unido em farrapos, enquanto Steve Harris metralhava as notas de "The Trooper" em direção à platéia.

Entretanto, o bloco mais festejado foi o que trouxe "Run To The Hills", "Fear Of The Dark" e "Hallowed Be Thy Name". E, antes de encerrar o show, talvez o momento mais aguardado da noite: o boneco Eddie entrou no palco ao som de "Iron Maiden" para ser ovacionado por uma platéia completamente ensandecida, que continuou cantando inabalavelmente durante o bis com "The Number Of The Beast" e "The Evil That Man Do".

Ao final do espetáculo, às 23h15, os fãs saíram do autódromo com a sensação de que o tempo não passa para os integrantes do conjunto inglês: a vitalidade contagiante e o vigor juvenil de cada um são os mesmos há quase quatro décadas.

A turnê Somewhere Back In Time ainda passa por Belo Horizonte (18/3), Brasília (20/3), e se encerra no Recife (31/3).

Confira o set list completo do show em São Paulo:

"Aces High"

"Wrathchild"

"2 Minutes to Midnight"

"Children of The Damned"

"Phantom of The Opera"

"The Trooper"

"Wasted Years"

"Rime of The Ancient Mariner"

"Powerslave"

"Run to The Hills"

"Fear of The Dark"

"Hallowed Be Thy Name"

"Iron Maiden"

"Number of The Beast"

"The Evil That Men Do"

"Sanctuary"