Sem Ney Matogrosso, Secos & Molhados retorna aos palcos

João Ricardo traz versão reformada da banda a São Paulo no dia 29 de março; leia entrevista com o compositor

Murilo Basso Publicado em 28/03/2012, às 09h50 - Atualizado às 13h15

João Ricardo e Daniel Isabeck, a nova encarnação do Secos & Molhados
Tania Teixeira Pinto/Divulgação

Após um período longe dos palcos, João Ricardo, líder do Secos & Molhados, decidiu retornar com a banda. Sem a presença de Ney Matogrosso, vocalista durante a fase de maior sucesso do grupo, o violonista e compositor levará uma versão reformada do Secos ao Cine Joia na próxima quinta, 29.

A apresentação marcará o pré-lançamento do mais recente trabalho de João Ricardo, Chato Boy, que presta homenagem aos 40 anos do primeiro disco do Secos & Molhados, o homônimo LP lançado em 1973. João, único remanescente da formação original, estará acompanhado do guitarrista Daniel Iasbeck. “Meu forte nunca foram os shows. Curiosamente, hoje são, porque estou com o Daniel, com quem me dou muitíssimo bem. Nosso trabalho é tão bom quanto o da formação clássica do Secos & Molhados”, acredita João.

O compositor diz estar em seu melhor momento como músico, e que a única vez em que se sentiu tão tranquilo quanto está hoje foi no início de sua carreira. A diferença de Iasbeck, segundo ele, só auxilia nesse processo. “Esse é o grande barato. É algo que só poderia acontecer se realmente funcionasse, afinal, não faz sentido alguém de 60 anos com um cara de 30 em um palco se eles não se completarem musicalmente.”

"Eu estou tocando a minha vida, isso é passado", diz Ney Matogrosso sobre o Secos & Molhados.

João Ricardo conheceu Iasbeck dez anos atrás. Em 2007, o guitarrista manifestou o interesse em gravar em parceria. “Fomos para o estúdio do Daniel e começamos a montar a ideia, que nos surpreendeu no final. Então, pensei em comemorar os 40 anos do meu primeiro registro. Achei que tinha que ser Secos & Molhados e não só João Ricardo por uma razão simples: como foi algo que me marcou e são duas pessoas, decidi que os novos Secos & Molhados seriamos nós dois.”

Passado, presente e futuro

O repertório das apresentações trará tanto as novas canções como clássicos do Secos & Molhados. São todas composições de autoria de João Ricardo, o que faz com que ele não tema eventuais comparações. “O Secos & Molhados, desde que terminou aquela formação, só me trouxe problemas. As pessoas julgam livres, leves e soltas. E assim deve continuar”, ele afirma. “Mas eu não ligo a mínima. Porque aquilo que faço, faço consciente. Não deveriam comparar, porque não pretendo fazer nada semelhante ao Secos [de antigamente].”

O compositor ressalta que a única semelhança visível será o nome. A ideia é trazer o olhar do Secos & Molhados para 2012. Também será a primeira vez que João assumirá os vocais. “Hoje, eu me permito cantar e na época não era possível. Tem algumas novidades para quem se interessa pelo trabalho do Secos & Molhados, mas é uma ideia totalmente diferente.” Sobre a formação clássica, João Ricardo reforça que a relação com os antigos companheiros é praticamente inexistente. “Não vejo Ney desde 1980. Não tenho relação nenhuma com ele. Aliás, nem ele comigo. Quem costuma aparecer nos meus shows, esporadicamente, é o Gérson [Conrad]”, conta. “O Ney é algo que não me interessa desde o dia em que ele deixou a banda. Mas nunca tivemos problemas, nunca brigamos, nunca houve nada.”

João comenta que embora seja um tema sempre recorrente, o fato é que não houve nenhum interesse em uma reunião com o passar dos anos. “Se o Ney quisesse algo, ele ligaria para mim. Da minha parte também. Se houvesse necessidade nós poderíamos falar sobre isso tranquilamente.”

Secos e Molhados em São Paulo

Quinta-feira, 29 de março

Cine Joia - Praça Carlos Gomes, 82 - Liberdade

Abertura da casa: 21h

Horário previsto do show: 23h

Valores: R$ 80,00 / R$ 40,00 (meia entrada)

Ingressos: Cinejoia.tv/ingressos