Sequência de Independence Day é adiada para 2016

Estreia vai coincidir com aniversário de 20 anos do filme original

Rolling Stone EUA Publicado em 14/11/2013, às 10h57 - Atualizado às 11h04

Independence Day
Reprodução

A sequência de Independence Day, intitulada ID Forever Part I, teve estreia adiada em um ano e agora deve chegar aos cinemas em julho de 2016, segundo noticiou o site da revista Entertainment Weekly. A nova data coincide com o aniversário de 20 anos do filme original.

Galeria: Os dez erros mais ridículos em filmes.

O novo longa se passa, adequadamente, duas décadas após a conclusão do primeiro, quando reforços alienígenas aparecem em resposta a pedido de socorro enviado pelos primeiros invasores antes de serem derrotados por Will Smith e Jeff Goldblum. A nova história será protagonizada por Ross Bagley, que interpreta um enteado do personagem de Will Smith, que por sua vez não fechou contrato para voltar à franquia – o diretor Roland Emmerich disse ao jornal New York Daily que o ator era “caro demais”. Goldblum e Bill Pullman, que interpretou o presidente dos Estados Unidos, estarão de volta.

Emmerich, que dirigiu o original, acertou contrato para comandar as duas partes da sequência. Ele explicou em entrevista recente à revista Entertainment Weekly porque alienígenas voltariam tanto tempo depois: “Os humanos sabiam que um dia os alienígenas voltariam. E eles sabem que a única forma de viajar pelo espaço é através de buracos de minhoca. Então, para eles, este tempo seria de duas ou três semanas, mas para nós são 20 ou 25 anos”, disse. O diretor afirmou ainda que no novo filme os humanos estudaram a tecnologia dos invasores. Mas, se não conseguem duplicá-la, por ser orgânica, conseguem, por exemplo, colocar um dispositivo anti-gravidade em um avião.

A primeira parte, segundo ele, será apenas “uma pequena vitória”, o mínimo para “dar esperança aos humanos”, mas a batalha final ficará mesmo para a segunda parte da sequência, que ainda não tem data prevista.

Independence Day impressionou em 1996 pelos avançados efeitos visuais e rendeu US$ 300 milhões de bilheteria apenas nos Estados Unidos, chegando perto da marca de US$ 1 bilhão em todo o mundo.