Serviço de música em streaming Deezer fecha parceria para facilitar acesso de artistas brasileiros

Até 18 de julho, músicos poderão ter 30 dias de serviço distribuição digital gratuito para 26 milhões de pessoas em 180 países diferentes

Redação Publicado em 20/06/2013, às 13h47 - Atualizado às 14h06

Deezer - logo
Reprodução

O Deezer, serviço de música em streaming, segue ampliando e fincando as raízes no Brasil. A empresa de origem francesa firmou uma parceria com a ONErpm, distribuidora de música digital, para incentivar os músicos brasileiros a incluírem discos e músicas ao catálogo que já conta com 25 milhões de faixas.

Com isso, até o dia 18 de julho, os artistas podem usar a plataforma da ONErpm para inserir as canções no acervo do Deezer e ter esse material disponível para audição em 180 países.

A empresa francesa, que oferece um serviço como o Netflix, só que com discos e faixas ao invés de filmes, chegou ao Brasil em 2013 e com a força de apostar nos mercados emergentes. São 26 milhões de usuários no mundo todo. Desse total, 4 milhões são assinantes dos planos pagos (R$ 14,90 mensais), que podem de ouvir as músicas mesmo sem conexão com a internet. É possível acessar o Deezer através de smartphone, laptop, tablet, PC e TV.

Serviços de streaming estão em alta no mercado fonográfico e são vistos como a solução após períodos negros de pirataria. Os músicos recebem alguns centavos por cada faixa executada, mas o principal para o mercado não é o retorno financeiro por audição. O interessante é o mapeamento do consumo de determinada faixa ou artista em todo o planeta.

Para os músicos interessados, basta acessar o site da Onerpm e fazer o cadastro.