Sheryl Crow critica equipe de Michael Jackson por conivência com os abusos de menores

Antes de trilhar carreira solo, a cantora trabalhou como vocal de apoio durante a turnê Bad

Redação Publicado em 06/08/2019, às 09h51

None
Sheryl Crow (Foto: Sanford Myers/AP Images)

Antes de ser fazer sucesso como cantora solo, Sheryl Crow trabalhou com Michael Jackson durante a turnê Bad, entre os anos 1987 a 1989. E foi exatamente nesse período que o artista se aproximou dos jovens James Safechuck e Wade Robson, que o acusaram de abuso sexual no documentário Deixando Neverland (2019).

Com apenas dez anos na época, Safechuck uniu forças ao Rei do Pop na estrada, acompanhado pelos pais. De acordo com ele, foi então que os abusos começaram - e continuaram ocorrendo por muito tempo.

Crow afirmou que as acusações contra Jackson se assemelham a “uma morte na família”. “Sabe, e’ triste”, ela disse. “Safechuck era uma ótima criança, e o todo o tempo em que ele esteve conosco, eu me perguntei: Que diabos os pais dele estão fazendo?”

Mãe de dois filhos, a cantora foi questionada sobre estar desconfiada. “[Michael Jackson] era quase intocável, quase uma figura alienígena. E, sim, digo, eu fico triste e brava com muitas pessoas. Eu sinto que, realmente, havia uma enorme rede de pessoas que permitiram que aquilo acontecesse. É apenas trágico.”

Quando Deixando Nerverland foi lançado, em janeiro, um jornalista que cobria a turnê lembrou que estava “profundamente desconfiado” sobre o relacionamento entre Jackson e Safechuck.

A equipe do hotel revelou que o garoto ficava trancado em uma sala enquanto o Rei do Pop se apresentava. Havia uma placa de “não perturbe” na porta e um lençol cobrindo as janelas.

Um grupo de jornalistas enviou uma nota, dizendo: “Estamos no salão dos residentes… e se você estiver sendo preso contra sua vontade ou se precisar de resgate, entre em contato conosco.”

Os familiares de Michael Jackson têm insistido que o astro era inocente. Em 2005, o artista foi absolvido de todas as acusações relacionadas ao suposto abuso sexual de um menino de 13 anos de idade.


+++ LISTA: 13 segredos de 'Ladrão', o terceiro disco do Djonga e um dos melhores de 2019