Show surpresa do Guns N' Roses é cancelado e acaba em pancadaria

Banda de Axl Rose não apareceu na casa noturna Disco, em São Paulo, na noite desta quinta, 11; equipe do Pânico na TV foi agredida

Por Paulo Terron Publicado em 12/03/2010, às 18h05

Equipe do programa Pânico na TV foi agredida enquanto fazia uma gravação

Ver Galeria
(5 imagens)

Atualizada às 18h04

Terminou em confusão o show secreto que o Guns N' Roses faria na casa noturna Disco, em São Paulo, na noite da última quinta-feira, 11. O grupo chegou a montar a estrutura do palco - em configuração acústica, com previsão de 17 músicas para o repertório - e fazer a passagem de som durante a tarde, mas decidiu não se apresentar na última hora. O que deveria ser apenas uma decepção acabou em pancadaria.

Apesar de ter ficado conhecido como um show "secreto", a localização e a data do evento haviam sido divulgadas com antecedência pelo jornal Folha de S. Paulo. Muitos dos convidados também não se esforçaram para esconder as informações, publicando-as em diversas redes sociais, como o Facebook e o Twitter. Na casa noturna, jornalistas de jornais, revistas, sites e TV circulavam pelo ambiente, convidados pelos donos do estabelecimento (informalmente, não profissionalmente, segundo a assessoria de imprensa) e pela banda.

Por volta das 2h20, a equipe norte-americana da banda começou a desmontar o equipamento e a encaixotá-lo - pacificamente, sem tumulto. Insatisfeitos, os donos do local confrontaram os profissionais e parte dos instrumentos acabou danificada na confusão, que incluiu ofensas verbais e muita pancadaria. Segundo o Twitter do apresentador Marcos Mion, um dos donos da Disco, foi o empresário Marcos Maria, outro sócio da casa, quem iniciou o conflito físico. "Está bombando! @marcosmaria ficou puto c os seguranças do Axl q começaram a levar os instrumentos q a gente locou e socou eles!!", escreveu Mion no microblog, durante o corrido. Ao sair da casa, ele não parou para conversar com a imprensa.

No Twitter, tanto Mion quanto Maria afirmaram que o cantor da banda teria abusado do uso de drogas e por isso não teria comparecido, mas representantes da banda negaram que o uso de entorpecentes tenha qualquer relação com o ocorrido.

Fora a briga que envolveu o dono da Disco e a equipe da banda, outras confusões tumultuaram a madrugada no local. Um embate começou em um dos banheiros, seguido por um conflito entre duas frequentadoras - que chegaram a atirar copos e até uma garrafa de champagne uma na outra.

Segundo Marcos Campos, um dos sócios da Disco e organizador da festa de quinta-feira, a casa teve um prejuízo estimado de R$ 60 mil. "Eu liguei para o [representante] número 1 do Axl e disse: eu não preciso de vocês. Vocês são decadentes, eu, não." Durante a entrevista, pessoas que estavam no grupo do empresário insistiam em dizer que o show havia sido cancelado porque o cantor havia sido internado devido a uma overdose, fato que o próprio Campos negou. "Estão inventando isso só para queimar o cara, não sei de nada."

Do lado de fora, uma equipe do programa Pânico na TV gravava uma reportagem com os humoristas Carioca e Eduardo Sterblitch (o Freddie Mercury Prateado) quando foi abordada por um frequentador da casa que, alterado, trocou socos com câmeras e iluminadores. O rapaz fugiu correndo e não foi identificado. A assessoria da Rede TV disse que não vai comentar o assunto, mas o diretor do programa, Alan Rapp, escreveu sobre o ocorrido no Twitter. "O Carioca me ligou na madrugada, lá pelas 4 da matina, contando a baixaria na boate do Mion. A nossa equipe também apanhou!"

Entre os convidados que aguardavam o show do Guns N' Roses na Disco estavam Pitty, Daniela Cicarelli, Junior, integrantes do NX Zero, Sepultura e Capital Inicial, entre outros.

Por meio do escritório de seus empresários, o Guns N' Roses negou que os boatos de que o restante da turnê brasileira - que ainda tem shows marcados para São Paulo (13 de março), Rio (14) e Porto Alegre (16) - tenham sido cancelados.