Show tecnicamente perfeito do Toro Y Moi não empolga o público do Planeta Terra

A música fortemente calcada no sintetizador e teclado se mostrou bastante redonda, mas incentivou um clima de lounge sonolento na plateia

Stella Rodrigues Publicado em 05/11/2011, às 21h36 - Atualizado em 06/11/2011, às 14h50

Toro Y Moi no Planeta Terra

Ver Galeria
(3 imagens)

Um dos precursores do gênero chillwave, Tory Y Moi foi coadjuvante de seus instrumentos durante a apresentação realizada no Indie Stage do Planeta Terra. Com uma sonoridade que remete ao electropop oitentista e fortemente calcada no sintetizador e teclado, o cantor e produtor norte-americano fez um som bastante redondo, competente, correto mas que, contudo, incentivou um clima desanimado de lounge. O público se mostrou majoritariamente desinteressado no talento do artista e quem dançava tinha o olhar vagamente perdido e apático.

Embora o espaço em frente ao palco estivesse bem cheio, as pessoas pareciam mais preocupadas em ir e vir, ou parar e conversar, do que de fato prestar atenção. Poucos se deixaram levar pelo clima levemente onírico estabelecido pela sonoridade vinda das caixas de som e pelas luzes que saíam dos holofotes.

Desde os 15 anos de idade, o norte-americano Chazwick Bundick não usa mais seu nome de batismo. Foi com essa idade que começou a investir em seu talento musical e a ser chamado de Toro Y Moi. Quase dez anos mais tarde, Toro Y Moi trouxe ao Brasil uma banda, com guitarra, baixo e bateria, e repertório que equilibrou bem todos os seus trabalhos. “I Can Get Love”, “Still Sound” e “Freaking Out” foram algumas das faixas que fizeram parte do set list.