Shows só podem voltar em setembro de 2021, ‘por segurança’, acredita especialista do New York Times

Contenção contra coronavírus é essencial, e eventos com aglomerações são o último da lista de retorno

Redação Publicado em 13/04/2020, às 17h33

None
Palco (Foto: Rolling Stone / Scott Roth / Invision / AP / Shutterstock)

Zeke Emanuel, vice reitor e diretor do Healthcare Transformation Institute da Universidade da Pensilvânia, conversou com o New York Times sobre a epidemia de coronavírus, métodos de contenção e maneiras de minimizar danos à economia. Porém, o especialista não se mostrou positivo quanto à volta de eventos para aglomerações, como shows e festivais. 

Para o acadêmico, reuniões assim não devem acontecer antes de setembro ou outubro de 2021, “no mínimo. [...] Precisamos fazer em etapas. Primeiro, em espaços que permita gente de baixo risco de morte voltar [...] Lugares que você consegue ficar a 2 metros de distância de outra pessoa devem voltar antes.”

+++ LEIA MAIS: Os 7 melhores shows para assistir no evento de Lady Gaga e OMS contra coronavírus, One World: Together at Home

“Encontros maiores - conferências, shows, eventos esportivos - que todo mundo quer remarcar para outubro de 2020… Não faço ideia como eles pensam que essa é uma possibilidade plausível. Esses serão os últimos a retornar, 

Para ele, primeiro devem voltar restaurantes com espaços abertos. Então, escolas e escritórios - com ventilação e distância. Caso haja, de novo, casos da doença, é esperado o isolamento antes que o coronavírus torne a se espalhar.

+++ LEIA MAIS: Produtor musical mascarado distribui maconha e papel higiênico para pessoas isoladas contra coronavírus

+++ SESSION RS: SCALENE TOCA ASSOMBRA