Sinead O'Connor diz que parceria entre U2 e Apple é "quase um ato terrorista"

Durante entrevista, irlandesa ainda recordou briga com Prince

Redação Publicado em 18/11/2014, às 15h29 - Atualizado às 18h16

Galeria - 15 maiores rebeldes - Sinead O'Connor
AP

Sinéad O'Connor não faz a menor cerimônia na hora de dizer o que pensa. Em entrevista ao jornal britânico The Daily Mail, a irlandesa criticou o lançamento do último disco do U2, Songs of Innocence, que em outubro foi disponibilizado de forma gratuita para todos os usuários do iTunes - fato que faz com que o álbum aparece nas listas de reprodução de aparelhos como p iPhone e o iPod. “O que eles fizeram com o iTunes foi uma péssima jogada de marketing”, disse ela. “Foi algo quase terrorista. Eu não sou muito fã de U2, mas não se invade a vida das pessoas desta maneira. Foi um tiro no pé. O que houve foi quase um atentado terrorista.”

RÁPIDASCOM...Sinéad O'Connor.

Após falar sobre a estratégia de divulgação de Songs of Innocence, Sinéad, “inimiga” de longa data de Miley Cyrus, acusou a cantora de expor o público jovem ao sexo. "Se Miley quer enfiar dólares goela abaixo e sair nua por aí, não tem problema. Mas isso não pode acontecer em um ambiente no qual menores de idade estarão vendo isso”, explicou.

Os nove surtos mais chocantes de astros teen

O assunto, por fim, caminhou até a cantora Lady Gaga. “Ela sabe que tem muitos fãs menores de idade, mas pede para o público nos shows simular uma masturbação”, continuou Sinéad. “Que tipo de pessoa faz isso? Como artista, você precisa ter consciência do que representa para os fãs.”

A cantora irlandesa ainda comentou uma briga antiga que teve com o cantor Prince, que escreveu o hit “Nothing Compares 2 U” para ela. Tudo começou quando ele disse que não aprovava o uso de palavrões durante entrevistas. A gota d’água foi quando Sinéad o mandou "tomar naquele lugar... E daí tudo caiu por terra".