Pulse

Slash e Dave Mustaine lamentam tragédia envolvendo delegação da Chapecoense

Avião que levava equipe catarinense caiu próximo ao aeroporto de Medellín na madrugada desta terça, 29

Redação Publicado em 29/11/2016, às 19h07 - Atualizado às 19h17

Slash e Dave Mustaine lamentam tragédia envolvendo Chapecoense
Reprodução

Na madrugada desta terça, 29, o avião que transportava a delegação do clube de futebol catarinense Chapecoense caiu quando se aproximava do aeroporto José María Córdova, em Medellín, na Colômbia. A aeronave tinha 81 pessoas a bordo, entre membros do time, jornalistas e funcionários da companhia aérea boliviana Lamia.

Algumas celebridades usaram as redes sociais para prestar solidariedade às famílias das vítimas do acidente. Entre elas, Dave Mustaine, líder do Megadeth, e Slash, guitarrista do Guns N’ Roses, que recentemente fez um show no Brasil.

“Minhas condolências ao time brasileiro de futebol Chapecoense e a todos que perderam suas vidas no acidente de avião que aconteceu na noite da última segunda-feira, na Colômbia”, tuítou Mustaine.

“Nossos pensamentos e orações estão direcionados às vítimas e famílias do voo Flt RJ85 e a todos os fãs do time de futebol Chapecoense”, escreveu Slash.

A tragédia

A delegação da Chapecoense embarcou para a Colômbia na última segunda, 28. O time iria disputar a primeira partida da final da Copa Sul-Americana na quarta, 30, contra o Atlético Nacional. A equipe pegou um voo comercial de São Paulo até Santa Cruz de la Sierra, cidade da Bolívia. De lá, embarcou em outro voo para Medellín.

Segundo um comunicado do Aeroporto José María Córdoba, de Medellín, a tripulação comunicou uma emergência por "falhas elétricas" por volta das 22h15 locais (1h15 de Brasília). O avião caiu quando já estava próximo do aeroporto de Medellín.

O presidente Michel Temer decretou luto de três dias por conta do acidente com o avião que levava o time da Chapecoense para Medellín, na Colômbia. Temer também ordenou que FAB disponibilize aviões para translado das vítimas. A assessoria do Palácio do Planalto afirmou que o luto é “simbólico” e não afeta as atividades do governo federal.