Pulse

Slipknot rebaixou Chris Fehn depois de 20 anos de banda, diz advogado

Segundo ele, músico processou os colegas por ser desvalorizado

Redação Publicado em 28/03/2019, às 19h14

None
Chris Fehn, percussionista do Slipknot (Foto:Amy Harris/Invision/AP)

Chris Fehn, percussionista do Slipknot, abriu um processo contra seus colegas de banda do dia 13 de março. Segundo ele, os outros integrantes do grupo escondiam dinheiro e negociações dele.

Nesta quinta, 28, Joel B. Rothman, o advogado do músico, falou com a Rock Feedpara esclarecer alguns dos motivos que levou Chris a processar seus colegas. Segundo ele, o acordo feito pela gravação do novo disco era desigual. “O processo veio porque quando o Chris ia continuar participando da banda e gravar o novo álbum, ele recebeu uma proposta totalmente onorosa, do tipo ‘pegar ou largar’, ou ‘você não é um integrante importante da banda”, declarou.

“Não vou entrar em detalhes, mas [...] se você passasse 20 anos da sua vida dedicado a um empreendimento como o Slipknot, onde você deu seu coração, sua alma, seu suor, seu sangue e suas lágrimas para fazer a banda ser o melhor que podia, do jeito que os fãs gostam, e aí dissessem para você que você é um cidadão de segunda classe…. Duvido que qualquer pessoa que ouvisse isso se sentisse de um jeito diferente do que como Chris se sentiu - que ele não estava recebendo o respeito que devia“ completou o advogado.

“[Eu e os outros advogados] vimos que o Chris, no começo do Slipknot, era tratado como igual. Só mais tarde, quando a banda fez sucesso, que eles começaram a diminuir o Chris. Olhamos para isso e dissemos ‘bom, isso não parece justo'; baseado nos fatos como os entendemos, ele começou como um igual, e ele deveria continuar assim e ser tratado do mesmo jeito”, completou. 

Os outros integrantes da banda não gostaram da vendeta do persussionista. No site do Slipknot, anunciaram que o Chris não era mais parte da banda - o que foi negado por ele - e disseram que agora estão focados em gravar o novo álbum.