Solos de guitarra ganham espaço no Monsters of Rock com shows de Dr. Sin e Dokken

Brasileiros voltaram ao festival 19 anos depois de última participação, e norte-americanos se apresentaram no país pela primeira vez

Lucas Reginato Publicado em 20/10/2013, às 16h46 - Atualizado em 27/10/2013, às 10h34

O vocalista Don Dokken trouxe sua banda pela primeira vez a solo brasileiro.

Ver Galeria
(5 imagens)

Alterada em 27/10, às 10h34

Em agosto de 1994, o Dr. Sin era um dos nomes do festival Monsters of Rock. Dezenove anos depois, a banda novamente foi escalada para representar o metal brasileiro entre as atrações do festival.

Saiba como foi o primeiro dia do Monsters of Rock.

O sol estava forte quando os brasileiros entraram pontualmente às 13h40 no palco. Grande parte do repertório escolhido para o espetáculo foi criada depois do show de 94, então pela primeira vez o festival conheceu faixas de álbuns como Dr. Sin II (2000) e Animal (2011). O trio, por outro lado, provou o entrosamento de tanto tempo na estrada, e ainda contou com participações especiais.

O guitarrista Demian Tiguez foi convidado para um embate de guitarras com o virtuoso Edu Ardanuy, que em faixas como “Fly Away” não poupou notas em solos caprichados. Quem também subiu ao palco foi Edu Falaschi, vocalista do Almah, para cantar “Emotional Catastrophe”.

Galeria: Cinco hits do festival Monsters of Rock.

O público não desapontou o vocalista e baixista Andria Busic, que comandou palmas e pareceu surpreendido com coro em canções como “Miracles”, “Fire” e “Time After Time”. Os braços continuaram erguidos quando a atração seguinte, o Dokken, entrou para se apresentar, depois de 35 anos de carreira, pela primeira vez no Brasil.

“Espero há mais de 30 anos para vir aqui”, afirmou o carismático vocalista Don Dokken (foto), que interagiu com os fãs durante toda a performance, encurtada devido a um pequeno atraso. O ineditismo da atração e a importância histórica do grupo engrandeceram o show, mesmo que o público ainda não fosse tão numeroso.

O guitarrista Jon Levin investiu em solos marcantes enquanto o vocalista explorou a passarela central que invadia a pista para se aproximar dos fãs atentos às canções. “Vocês são tão gentis”, elogiou Don Dokken por diversas vezes diante do público que cantou faixas como “Kiss of Death”, a primeira do repertório, além de “Breaking the Chains”, “Tooth and Nail” e “In My Dream”, entre outras.

Leia nos links abaixo a cobertura completa do Monsters of Rock 2013.