Soul é a primeira animação da Pixar com protagonista negro; conheça

O longa chega ao Disney+ nesta sexta-feira, 25

Redação Publicado em 24/12/2020, às 16h30

None
Soul, a primeira animação da Pixar com protagonista negro (Foto: Reprodução)

A nova animação da Pixar, Soul, chega ao Disney+ nesta sexta-feira, 25, e traz o primeiro protagonista negro do estúdio, Joe Gardner, um professor de música que ganha a chance de tocar no melhor clube de jazz da cidade, mas sofre um acidente e vai parar em outra dimensão.

Como observou o jornal The New York Times, histórias e talentos negros continuam sub-representados em animações norte-americanas. Tanto que Soul é apenas a quarta delas a realmente investir no protagonismo negro, depois de Bébé's Kids (1992), A Princesa e o Sapo (2009) e Homem-Aranha no Aranhaverso (2018).

+++LEIA MAIS: Soul, Lightyear, Luca e mais: Disney anuncia 4 novas produções da Pixar

“Para mim, Joe representa muitas pessoas que não estão sendo vistas agora”, disse Jamie Foxx, que dá voz ao personagem principal. “Joe está em todos nós, independentemente da cor. Ser o primeiro negro a estrelar um filme da Pixar parece uma bênção, especialmente durante este tempo em que todos nós poderíamos usar um pouco mais de amor e luz.”

Sabendo que seu trabalho em Soul seria minuciosamente examinado, o diretor Pete Docter, o co-roteirista Mike Jones e a produtora Dana Murray, que são brancos, contrataram o primeiro co-diretor negro da Pixar, Kemp Powers, que participou ativamente das discussões sobre o projeto.

“Queríamos alguém que pudesse falar autenticamente sobre o personagem e trazer profundidade a ele”, disse Docter ao NYT. “Foi quando Kemp Powers apareceu.”

Inicialmente, ele havia sido contratado como roteirista por três meses, mas seu contrato foi prorrogado e ele foi promovido a co-diretor. “Pete realmente me envolveu no processo”, disse Powers.

 +++LEIA MAIS: Disney anuncia 7 novas animações: Raya e o Último Dragão, Baymax, Moana e mais

“Algumas pessoas gostam de falar pelos negros, negros americanos, seja o que for. Eu não sou uma dessas pessoas”, ele acrescentou. “Eu sou um homem negro e conheço a minha história. Mas, ao mesmo tempo, não posso falar por todos os negros de Nova York. Não posso falar por toda a minha geração.”

Por isso, a Pixar também investiu em consultores individuais, que trouxeram outros pontos de vista para completar a narrativa. “Eram 20 negros dentro de uma sala. Fazíamos uma pergunta e obtínhamos 20 respostas diferentes”, revelou Powers. “Cada um tinha uma opinião diferente, o que tornava o trabalho exponencialmente mais difícil, mas esse cuidado é necessário.”

Assista ao trailer de Soul abaixo:


+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes!


+++ CYNTHIA LUZ: 'A GENTE PRECISA OUVIR A VOZ DAS PESSOAS' | ENTREVISTA | ROLLING STONE BRASIL