Star Wars: A trilogia de George Lucas teria sido tão controversa quanto a da Disney; entenda

As produções da Disney dividiram a opinião do público, mas os planos originais de George Lucas para a franquia não teriam sido menos controversos

Redação Publicado em 11/11/2019, às 12h48

None
George Lucas (Foto: Winslow Townson/AP)

A chamada "trilogia sequela" de Star Wars, produzida pela Disney, dividiu a opinião do público, mas é possível que os planos de George Lucas para a franquia não teriam sido menos controversos.

Antes da aquisição da Lucasfilm pela Disney, em 2012, o universo Star Wars estava em outra posição. A trilogia prequel de Star Wars ainda estava fresca na memória de todos, enquanto a série Star Wars: A Guerra dos Clones (2008-2014) ainda estava no ar.

+++ Leia mais: Keanu Reeves é cotado para nova trilogia de Star Wars pela Lucasfilm, diz site

No início dos anos 2000, Lucas foi muito criticado ao desenrolar da franquia. Grande parte do público desaprovou as prequels por não manterem o mesmo nível da trilogia original de Star Wars em termos de narrativa.

As coisas mudaram drasticamente com o lançamento do sétimo filme da saga, Star Wars: O Despertar da Força (2015).

Apesar do sucesso de três das quatro produções daDisney, as decisões criativas do estúdio não provocaram as reações mais positivas entre os fãs. Star Wars: O Despertar da Força (2015) e Os Últimos Jedi (2017) faturaram bilhões de dólares mundialmente, mas também geraram polêmica.

+++ Leia mais Star Wars: George Lucas se sentiu traído com os planos da Disney para a franquia

O trio original (Luke Skywalker, Princesa Leia e Han Solo) não ganhou destaque nos novos filmes, e o arco de Luke Skywalker em Star Wars: Os Últimos Jedi (2017) foi uma controvérsia por si só.

O público de Star Wars manifestou insatisfação com o rumo da franquia e o desrespeito à visão de Lucas, gerando mais admiração pelas prequels que ele havia lançado anteriormente.

A trilogia atual, contudo, ainda teria sido igualmente polêmica se o criador de Star Wars estivesse no comando. Ele queria contar as três últimas partes da história após o término das prequels, mas isso nunca se concretizou. Aparentemente, Lucas queria explorar o lado científico da Força, entrando no "mundo microbiótico".

+++ Leia mais: The Mandalorian: 6 coisas que você precisa saber sobre a nova série de Star Wars

A trilogia teria, então, introduzido criaturas chamadas Whills, que se alimentam da Força e controlam o universo. Segundo o produtor, os Whills usam humanos como embarcações para se mover pelo mundo.

O conceito foi apresentado em Ameaça Fantasma (1999), com os midiclorianos, formas de vida microscópicas que garantem o acesso à Força.

+++ Leia mais: Filha de Carrie Fisher não gostava da Princesa Leia e Star Wars: ‘Era como minha madrasta’

Os midiclorianos são um dos aspectos mais odiados de Star Wars, pois as pessoas, em geral, se queixaram de que explorar a ciência por trás da Força minimiza o misticismo de tudo isso.

As decisões ousadas e criativas de Lucas teriam, sem dúvida, dividido ainda mais a base de fãs. O próprio George Lucas admitiu para o Collider que os fãs "teriam odiado, assim como fizeram com Star Wars: Ameaça Fantasma".