Stephen King acha "errado" Oscar considerar diversidade em indicações

No Twitter, o autor de It: A Coisa se manifestou sobre às críticas feitas a lista divulgada pela Academia na última segunda, 13

Redação Publicado em 14/01/2020, às 16h59

None
Stephen King (Foto: AP Photo/Mark Lennihan)

Nesta terça, 14, Stephen King foi ao Twitter para comentar sobre a polêmica que envolveu a lista de indicados ao Oscar 2020, divulgada na segunda, 13. A lista da Academia foi criticada pela falta de diversidade de gênero, assim como a do BAFTA

"Como escritor, posso indicar em apenas três categorias: Melhor Filme, Melhor Roteiro Adaptado e Melhor Roteiro Original”, tuitou o autor de It: A Coisa

"Para mim, a questão da diversidade - como se aplica a atores individuais e diretores, de qualquer maneira - não apareceram. Dito isto, eu nunca consideraria a diversidade em matéria de arte. Apenas qualidade. Me parece fazer o contrário seria errado". 

+++ LEIA MAIS: Sequência de O Iluminado, Doutor Sono tenta agradar Stephen King e Kubrick ao mesmo tempo - e é seu maior erro [ANÁLISE]

Ava DuVernay, cuja produção Selma: Uma Luta pela Igualdade (2014) lhe redeu o título de primeira cineasta negra a ter um filme indicado ao Oscar na categoria de Melhor Filme, retuítou um dos comentários de King e escreveu:

"Quando você acorda, medita, alonga, procura seu telefone para verificar o mundo e ve o tuíte de alguém que você admira que é tão atrasado e ignorante que você quer voltar para a cama".

+++LEIA MAIS: It: A Coisa 2: 11 referências e easter eggs que você pode ter deixado passar

No Twitter, outros usuários se manifestaram: "Se uma grande parte do sexo masculino, um grupo predominantemente branco seleciona uma amostra predominantemente masculina e amplamente branca como 'qualidade', ano após ano, durante décadas - sugere que não há uma definição objetiva dessa 'qualidade'". 

+++ LEIA MAIS: 6 diretoras que poderiam ser indicadas ao Oscar 2020 - mas foram ignoradas

Horas depois do tuíte inicial, King pareceu recuar sobre o que havia dito: "A coisa mais importante que podemos fazer como artistas e pessoas criativas é garantir que todos tenham a mesma chance, independentemente de sexo, cor ou orientação. No momento, essas pessoas estão mal representadas, e não apenas nas artes". 

"Você não pode ganhar prêmios se ficar de fora do jogo", concluiu.


+++ CORUJA BC1: 'FAÇO MÚSICA PARA SER ATEMPORAL E MATAR A MINHA PRÓPRIA MORTE'