Pulse

Steven Spielberg discorda de Scorsese e Coppola e afirma que Marvel é, sim, cinema de verdade

Os dois diretores menosprezaram super-heróis e a indústria gigantesca por trás deles

Redação Publicado em 25/10/2019, às 17h21

None
Steven Spielberg (Foto:Benjamin Shmikler/ABImages/AP)

Nas últimas semanas, Martin Scorsese e Francis Ford Coppola - dois dos mais renomados cineastas atuais - causaram polêmica ao afirmar que filmes de super-heróis, principalmente os da Marvel, não podem ser considerados cinema “de verdade” e as produções são "desprezíveis." Mas outro diretor importante discorda: Steven Spielberg. 

O cineasta responsável por sucessos da aventura como E.T. - O Extraterrestree Indiana Jones dos anos 1980 (e também o “cult” Lista de Schindler) disse, durante o Festival de Cannes de 2016, que os filmes na verdade são divertidos e inovadores.

+++ LEIA MAIS: Benedict Cumberbatch, o Doutor Estranho, apoia as críticas de Scorsese e Coppola aos filmes da Marvel

“Gosto muito do Superman, de Richard Donner, e de Cavaleiro das Trevas, de Christopher Nolan, e do primeiro Homem de Ferro,” explicou Spielberg. “Mas o filme de super-herói que mais me impressionou foi Guardiões da Galáxia. Quando a projeção acabou, saí com a sensação de ter visto algo novo no cinema, sem qualquer cinismo nem medo de ser obscuro quando necessário.”

Fez, ainda, uma relação de super-heróis com os personagens que ele filma, chamados de “heróis cotidianos,” pois são aquelas pessoas comuns “que se deparam com um fato grave e age para modificá-lo, [como alguém que] vê um carro pegando fogo e corre para ajudar a pessoa que está dentro” enquanto um super-herói “diante da mesma cena, voaria até o carro e o viraria de ponta-cabeça com super-força.”

+++ LEIA MAIS: Martin Scorsese diz ser uma perda de tempo criar protagonistas mulheres

As declarações de Coppola e Scorsese torceram alguns narizes. Bob Iger, o presidente da Disney, por exemplo, acusou as falas de serem "desrespeitosas," e James Gunn, diretor de Guardiões da Galáxia, acha que os super-heróis são o "tema" jovem do cinema - como antes os gangsters e o faroeste. "Muitos de nossos avós pensavam que todos os filmes de gangsteres eram os mesmos, muitas vezes chamando-os de ‘desprezíveis,'" disse, referindo-se à temática explorada por ambos os cineastas.