Suge Knight é indiciado por homicídio e pode ser condenado à prisão perpétua

Empresário cofundador da Death Row Records atropelou e matou um homem de 55 anos

Rolling Stone EUA Publicado em 03/02/2015, às 13h26 - Atualizado às 15h47

Suge Knight
AP

O magnata do hip-hop norte-americano, Suge Knight, foi oficialmente indiciado por homicídio. No mês de janeiro, ele atropelou dois pedestres e fugiu sem prestar socorro. Uma das vítimas morreu no local do incidente. As informações foram divulgadas nesta terça, 3, através de um comunicado emitido pelo gabinete da promotoria de Los Angeles.

“Após uma discussão na quinta-feira, 29, do lado de fora de um restaurante na região de Compton - em Los Angeles -, Knight comprovadamente dirigia uma caminhonete quando atropelou dois homens que estavam em um estacionamento”, diz o comunicado. “Terry Carter, de 55 anos, morreu na hora. O motorista fugiu da cena do crime.”

As dez maiores brigas da história do rap.

Caso seja condenado, Knight poderá pegar uma pena de prisão perpétua. Na segunda, 2, o direito dele a fiança foi revogado. O porta-voz do polícia de Los Angeles afirmou que, caso seja solto, Knight pode tentar sair do país ou intimidar testemunhas do caso. O fato de o empresário já ter passagens pela polícia também pesou na decisão.

Entenda o caso

Knight se entregou às autoridades no dia 30 de janeiro e foi interrogado por policiais durante três horas, segundo o Los Angeles Times. Ainda que o advogado do magnata tenha admitido que ele estivesse atrás do volante quando um homem de 55 anos foi morto e outro de 51 anos ficou ferido, ele disse à Associated Press que o incidente não foi intencional.

Retrospectiva 2014: os melhores momentos do hip-hop.

“Estamos confiantes de que, uma vez que a investigação chegue ao fim, ele será totalmente exonerado”, disse James Blatt. “Ele quase foi fisicamente agredido por dois homens e, em um esforço para escapar, infelizmente bateu em [outros] dois indivíduos. Ele estava tentando fugir no carro.”

Mas testemunhas que estavam na cena contestam a afirmação, segundo o xerife da polícia de Los Angeles, Lt. John Corina. “As pessoas com quem conversamos disseram que parecia uma ação intencional”, disse ele à imprensa nesta sexta, 30, acrescentando que Knight se envolveu em duas discussões diferentes com os dois homens antes do incidente.

O Hollywood Reporter noticiou que os atropelamentos aconteceram logo após e em um local próximo de onde estavam sendo feitas gravações promocionais relacionadas à cinebiografia do grupo N.W.A., Straight Outta Compton. Os rappers Dr. Dre, Ice Cube e The Game também estavam no local para a gravação do vídeo promocional, mas foram embora antes do acidente.

Segundo o LA Times, Knight perseguiu os dois homens até o estacionamento de uma lanchonete, 20 minutos após as discussões. Na sequência, ele passou por cima dos homens com a caminhonete vermelha dele. “Parece que ele deu ré, atropelou as vítimas, e depois andou para frente e os atropelou novamente”, disse Corina.

Inicialmente, o Departamento de Polícia de Los Angeles recusou-se a nomear um suspeito. Entretanto, posteriormente, eles divulgaram um alerta para as agências policiais “ficarem de olho” em Knight, acrescentado que ele era um suspeito em uma investigação de homicídio.

A carreira de Knight tem sido marcado por uma série de prisões e problemas com a lei. Em 1997, o cabeça da gravadora foi sentenciado a nove anos de detenção por violar o período de liberdade condicional após um caso de assalto. Ele foi liberado em 2001, mas foi forçado a retornar à cadeira em 2003 quando agrediu um empregado de um estacionamento. Em 2008, ele foi preso por posse de droga.