System of A Down: Baterista critica obrigatoriedade de vacinas: ‘Escravidão mental’

Baterista do System of A Down, John Dolmayan fez um relato de que teve que mostrar comprovante de vacina em um restaurante de L.A.

Redação Publicado em 23/11/2021, às 15h45

None
John Dolmayan (Foto: Divulgação)

O baterista do System of A Down, John Dolmayan, criticou o mandato de obrigatoriedade de vacina contra covid-19 na cidade de Los Angeles, EUA. Segundo palavras dele, a lei é uma forma de "tirania auto-imposta e escravidão mental."

"Hoje fui a um restaurante em Los Angeles que tinha um segurança que exigia papelada para entrada e observei dezenas de fregueses mostrando seus 'papéis'", escreveu John Dolmayan em um post no Instagram sobre a obrigatoriedade de vacinas. 

O baterista continuou: 

"As coisas realmente não mudam, mudam? Contanto que você tenha uma máquina de propaganda forte e encontre uma maneira de retirar direitos básicos, mesmo que temporariamente, a maioria das pessoas fará qualquer coisa que lhes for solicitada para recuperar o senso de normalidade. O engraçado é que a três milhas a leste, em Glendale, a vida é muito mais livre e normal."

John Dolmayan concluiu: 

A tirania auto-imposta e a escravidão mental estão galopando e infestando muitos lugares no mundo inteiro. Esperançosamente, essa loucura passará."

De acordo com o decreto que foi aprovado pelo Conselho Municipal de L.A. no início de outubro, pessoas com 12 anos ou mais devem mostrar um cartão de vacinação - físico ou eletrônico - contra covid-19 para poder frequentar restaurantes, cinemas, shoppings, shows, salões de beleza e vários outros locais. 

Também é exigido que as pessoas apresentem comprovante de vacinação ou teste de covid-19 negativo para participar de eventos ao ar livre com 5 mil ou mais pessoas.

As informações são do site Blabbermouth