Do Reino Unido ao topo das paradas norte-americanas

Em entrevista à Rolling Stone Brasil, o britânico Taio Cruz fala sobre sua participação na trilha-sonora da animação Rio, a carreira musical em ascensão e a difícil tarefa conquistada em 2010: ocupar o primeiro lugar nos Estados Unidos por meio do R&B

Por Patrícia Colombo Publicado em 08/04/2011, às 15h02

Morten Larsen/Divulgação

Ele é filho de pai nigeriano e mãe brasileira, mas garante que, no que se refere ao português, só domina o "obrigado". Nascido em Londres em 1983, Taio Cruz não só é um dos artistas que integram a trilha sonora da animação Rio, que estreia nesta sexta, 8, mas principalmente um dos grandes nomes do R&B britânico que têm invadido os Estados Unidos e ocupado as posições mais altas das paradas.

Os óculos escuros usados por ele e a cara fechada a princípio dão certa impressão de alguém carrancudo - mas é questão de um cumprimento para a ideia ser alterada. Taio é tímido, mas receptivo, brincando inclusive com a quantidade de repórteres locais que comentaram sobre o fato da mãe do rapaz ser brasileira. Apesar do laço sanguíneo com o verde e amarelo, o cantor veio pela primeira vez ao país só agora, em meados de março, quando conversou com a Rolling Stone Brasil. "Estive no Rio de Janeiro [para divulgar Rio] e agora em São Paulo, e estou aproveitando bastante", disse.

Taio contou que sua participação na trilha-sonora de Rio aconteceu a partir de um convite feito pelos executivos da 20th Century Fox, estúdio responsável pela animação. "Vi um trecho e imediatamente tive uma ideia para a música. Voltei no mesmo dia com a canção não terminada e eles amaram." O cantor, que lançou o álbum Rokstarr em 2009, marca presença no repertório do longa-metragem com "Telling the World", faixa, segundo sua opinião, "alto astral". "É uma história de amor, é épica. E acho que o filme é da mesma forma, tem uma história de amor incrível, é bastante positivo", argumentou. Esta foi a primeira vez que ele compôs exclusivamente para um filme, caracterizando a experiência como "empolgante". Junto a ele, um time de peso "musicou" Rio: Sergio Mendes, Will.i.am, Jamie Foxx, Bebel Gilberto, Carlinhos Brown, entre outros. "Acho que todos adicionaram uma boa quantidade de talento e esforço nesse trabalho", afirmou Taio sobre os companheiros.

A trupe, tanto do elenco de dubladores (entre eles Anne Hathaway e Jesse Eisenberg) quanto do time de músicos, veio ao Brasil e, claro, teve tempo para trocar figurinhas e conversar sobre futuras parcerias. "Eu estava falando com o Sergio Mendes sobre isso. Faremos alguma coisa quando voltarmos a Los Angeles, então acho que será interessante. Falei com Will.i.am e com Jamie Foxx também. Provavelmente gravaremos alguma coisa em algum momento", entregou Cruz.

UK no USA

Em 2010, segundo informações da Island Records (major com a qual assinou contrato poucos anos atrás), Taio Cruz vendeu oito milhões de singles nos Estados Unidos, deu um salto da 53ª posição para o topo do Hot 100 da Billboard com "Break Your Heart" e se posicionou como o único artista a ter duas faixas (esta e "Dynamite") no Top 10 de final de ano do iTunes. Em março deste ano, chegou ao primeiro lugar da parada Hot Dance Club, também da Billboard, com seu mais recente single, "Higher", que conta com Kylie Minogue e Travie McCoy. As conquistas na carreira de Cruz têm ainda um peso maior uma vez que se trata de um artista encaixado no R&B, gênero que, assim como o soul, sempre ocupou as paradas dos Estados Unidos por meio de músicos do país.

Apesar de não se caracterizar um artista de rhythm and blues ("Acho que minha música é dance, misturando vocal de R&B e sensibilidade pop", argumenta), Taio compreende a inserção de sua sonoridade neste segmento. Ele atribui o grande alcance de artistas britânicos atuais nos rankings norte-americanos não só ao talento deles, mas também à internet: "Ela tem aproximado as pessoas e facilitado a viagem das músicas de um lugar para outro, o que torna mais fácil a divulgação".

A carreira de Taio teve início em 2002, tendo começado como cantor, compondo suas faixas. "As pessoas ouviram e passaram a pedir para que eu escrevesse para eles. Acabei compondo e produzindo por um bom tempo." Com interesse em trilhar seu próprio caminho, lançando materiais interpretados por ele mesmo, abriu o selo Rokstarr Music e colocou no mercado londrino o primeiro single, "I Just Wanna Know". O sucesso lhe rendeu um contrato com a Island Records. Lançou o álbum Departure em 2008, depois o já citado Rokstarr. Um novo álbum sairá neste ano, porém Cruz guarda a sete chaves as informações a respeito.

Ouça abaixo "Telling the World", que integra a trilha sonora de Rio: