Novo As Tartarugas Ninja derrapa no humor exagerado e aposta em personagens mal construídos

Filme é produzido por Michael Bay, mas se alguém dissesse que ele também é o diretor, nós acreditaríamos

Pedro Antunes Publicado em 14/08/2014, às 10h29 - Atualizado às 13h58

Tartarugas Ninja - Leonardo
Divulgação

Tornou-se uma piada a frase escrita por um crítico certa vez, ao analisar um dos filmes da franquia Transformers, de que o diretor Michael Bay estava “matando o cinema” com aquelas superproduções exageradas, explosões por todos os lados e fiapos míseros de história. Não que a fórmula não seja bem sucedida, veja só o exemplo da franquia Transformers, cujo filme mais recente, A Era da Extinção, ultrapassou já a marca de US$ 1 bilhão de dólares em bilheteria. A batalha entre entretenimento puro versus qualidade foi vencida pelo desafiante. E Bay arregaçou as mangas e debruçou-se sobre outros personagens icônicos dos anos 1980, prontos para transformá-los em novos fantoches do entretenimento pop no qual ele está acostumado.

As estreias cinematográficas mais aguardadas do segundo semestre de 2014.

O novo As Tartarugas Ninja chega aos cinemas de todo o Brasil nesta quinta-feira, 14, pronto para sacudir as memórias afetivas que qualquer um com quase 30 anos de idade pode ter com personagens como Raphael, Michelangelo, Leonardo e Donatello. O que dizer da repórter April O'Neil, transformada por Megan Fox (voltando a ocupar o posto de queridinha de Bay) em um corpo curvilíneo acompanhado por lábios carnudos e pouca (ou nenhuma) atividade cerebral.

Clipe de As Tartarugas Ninja:

Ação desmedida e um roteiro frágil colocam em risco a trajetória das amadas Tartarugas até aqui. As quatro são resultados de uma experiência criada pelo pai de O’Neil – e ela é responsável por resgatá-las de um incêndio criminoso e levá-las para os esgotos. No submundo de Nova York, as tartarugas se desenvolvem e são treinadas por Splinter, um ratinho de laboratório que também foi modificado geneticamente. E como ele se tornou um mestre na arte marcial ninjutso? Ao ler um livro que encontrou por aí, como se fosse fácil assimilar uma cultura toda ao ler apenas um livro.

Veja quatro pôsteres de As Tartarugas Ninja.

Também pode incomodar os mais atentos o fato de que as quatro tartarugas possuem pouquíssimas individualidades. As quatro personalidades são tão rasas quanto as descrições a seguir: Leonardo é o líder contestado pelo brutamontes Raphael; Donatello é um nerd, enquanto Michelangelo é o bobo da corte. O próprio relacionamento conturbado de quatro irmãos adolescentes perde-se e se restringe à disputa de quem deveria ser o líder do quarteto de quelônios; Donatello e Michelangelo são os responsáveis pela descontração das cenas e só.

Um detalhe curioso: as tartarugas possuem traços físicos e usam gírias que parecem ter saído dos guetos e da cultura hip-hop, embora na única vez em que alcançaram a superfície e entraram em contato com a cultura dos seres humanos foi quando assistiram a um clipe do No Doubt.

Assista ao segundo trailer do filme, com imagens do Destruidor e do Mestre Splinter.

A relação entre as tartarugas e as cidade de Nova York é nula – a história poderia se passar em qualquer lugar. Assim como o vilão, o todo-poderoso Destruidor, descaracterizado de toda a sua história e transformado em um brutamontes com desejos de destruir o mundo e usando uma inexplicável armadura de samurai.

Clipe de As Tartarugas Ninja:

A feição e a aparência das protagonistas, antes considerada o alvo de maior receio por parte dos fãs, tornou-se o grande ponto alto do filme. As novas Tartarugas Ninja são mostradas como seres soturnos, mesmo que um pouco fortes demais, mas muito semelhantes ao trabalho original dos quadrinhos de Kevin Eastman e Peter Laird.

Johnny Knoxville dubla o Leonardo em As Tartarugas Ninja.

Todo o resto, contudo, é colocado na vala do descartável. Michael Bay conseguiu de novo. O mais curioso disso tudo é que ele não precisou sentar-se na cadeira de diretor. Como produtor, ele moveu seus marionetes, no caso o diretor Jonathan Liebesman (O Massacre da Serra Elétrica: O Início e Fúria de Titãs 2), que reprisou até a preferência por usar câmeras filmando de baixo para cima e o apreço por filmar todas as cenas durante o nascer e o pôr-do-sol, características básicas do “cinema de Michael Bay”.

Trailer de As Tartarugas Ninja: