Ted Nugent nega pandemia, racismo nos EUA e diz que 'George Floyd se matou com fentanil'

Com uma "live de Natal", o músico conseguiu fazer um monólogo infame de 16 minutos que pode ser visto como o ápice do discurso de ódio

Redação Publicado em 29/12/2020, às 09h04

None
Ted Nugent em live de Natal (Foto: Reprodução / Facebook)

No dia 25 de dezembro, Ted Nugent fez uma live de Natal que tem tudo para ser lembrada como a pior live natalina dos últimos anos. Aliás, pensando bem, talvez seja melhor que o mundo esqueça desse monólogo infame de 16 minutos.

Entre cusparadas, arrotos e piadas sobre fezes, o guitarrista e cantor, hoje com 72 anos, conseguiu falar uma quantia surpreendente de absurdos em um único vídeo. 

+++LEIA MAIS: Ted Nugent chama Tommy Lee de 'agressor viciado em heroína', e baterista do Motley Crue responde

"Não existe racismo estrutural na América. Tem racismo estrutural no Black Lives Matter. Existe racismo estrutural no Sudão. Existe racismo estrutural na Nigéria. Mas não tem racismo estrutural — quase racismo nenhum na América. Você precisa procurar com atenção para achar. Eu nunca vi", disse.

E não acaba por aí. Nugent também aproveitou para negar o assassinato de George Floyd e falar que, na verdade, ele "se matou com fentanil", em uma tentativa desprezível de justificar o fato de Floyd não ter conseguido respirar.

"Estou apontando a escória maligna para que a gente possa celebrar o nascimento positivo de Jesus Cristo, em 25 de dezembro de 2020".

Se depois de ler tanto absurdo você ainda quiser assistir ao vídeo, é só clicar aqui.


+++ SIGA NOSSO SPOTIFY - conheça as melhores seleções musicais e novidades mais quentes


+++SHOWS QUE PERDEMOS EM 2020 | ROLLING STONE BRASIL