The Monsters of Folk: fantasmas durante gravação do álbum de estreia

Supergrupo indie, formado por Conor Oberst, Mike Mogie, Jim James e M Ward, teria sido assombrado durante sessões no Shangri-la, estúdio pelo qual já passaram de Bob Dylan a The Gossip

Da redação Publicado em 11/07/2009, às 22h06

Gravar o álbum de estreia foi tarefa de outro mundo para os integrantes do The Monsters of Folk. Entenda isso literalmente - a banda, afinal, alega ter sido assombrada por fantasmas durante sessões no estúdio.

Para quem ainda não conhece, trata-se do supergrupo que diz a que veio já no nome. No caso, os "monstros do folk" são Conor Oberst e Mike Mogie, ambos do Bright Eyes, Jim James (frontman do My Morning Jacket e que, para o projeto folk, se identifica como Yim Yames) e M Ward (que divide o crédito do She & Him com a atriz Zooey Deschanel).

Ao site do semanário britânico NME, James assegurou que o quarteto recebeu visitantes do além enquanto gravava o disco, no estúdio Shangri-La, em Malibu, Califórnia. "Antes de ser um estúdio, lá pelos anos 30, [o local] era um bordel. Você pode sentir alguns dos assustadores, tristes fantasmas do prostíbulo."

E M Ward teria, de fato, sentido mais do que apenas vibrações do outro mundo. "[Ele] chegou a ver um. Ficou surtado; não quis voltar ao cômodo por um bom tempo. Você sente vários espectros lá, mas a maioria é bastante amigável", afirmou James.

O álbum, com lançamento marcado para 22 de setembro, teve conceito explicado por Oberst. "A única regra que fizemos era só ter nós quatro tocando no disco." Ou seja: nada de músicos extras. E se a música pedisse mais que os quatro membros pudessem colaborar? "Nós nos revezamos tocando baterias e baixos e experimentando", explicou Oberst.

Já passaram pelo estúdio artistas como Bob Dylan, Ringo Starr, Keith Richards e Neil Young. Mais recentemente, o produtor Rick Rubin levou as bandas The Gossip e Metallica para preparar, respectivamente, Music for Men e Death Magnetic.

Segundo release, reproduzido no mês passado pelo Pitchfork, o trabalho terá canções que vão do "íntimo" ao "banhado de sol" - alguns sons também soarão "desgastados pela estrada".

Para conseguir a sonoridade variada, o grupo não se restringiu à ensolarada Malibu - outra parte do álbum foi gravada em Omaha, Nebraska. O vaivém nos estúdios se estendeu por dois anos, respeitando a agenda dos projetos originais de Oberst, Mogie, James e Ward.

A tracklist, liberada junto ao release, contém as faixas "Whole Lotta Losin'" (tributo a "Whole Lotta Love", do Led Zeppelin?) e "Temazcal" (batizada em homenagem a uma sauna maia). Confira a lista de músicas do álbum, que terá título homônimo à banda, abaixo:

1- "Dear God (sincerely M.O.F.)"

2- "Say Please"

3- "Whole Lotta Losin'"

4- "Temazcal"

5- "The Right Place"

6- "Baby Boomer"

7- "Man Named Truth"

8- "Goodway"

9- "Ahead of the Curve"

10- "Slow Down Jo"

11- "Losin Yo Head"

12- "Magic Marker"

13- "Map of the World"

14- "The Sandman, the Brakeman and Me"

15- "His Master's Voice"