Tirem as crianças da sala: relembre 10 momentos perturbadores em clássicos da Disney

Redação Publicado em 11/08/2014, às 19h06 - Atualizado às 19h10

Galeria - Disney - Abre
Reprodução/Montagem

Pinóquio, lançado há 74 anos, conta com uma das cenas mais assustadoras - e inapropriadas - do universo infantil. Considerada a melhor animação da história da Disney, o filme mostra o menino-boneco na Ilha do Prazer [Pleasure Island], onde as crianças bebem, fumam e se transformam em burros para serem vendidas como escravos em minas de sal. Crianças consumindo drogas e animais sofrendo maus-tratos – um combo perturbador.
Após ficar bêbado com Timothy, Dumbo tem uma alucinação que envolve elefantes cor-de-rosa feitos de fumaça. Será que era absinto? O sonho, uma cena que dura quase cinco minutos, fica cada vez pior. Será que eles vão manter a sequência na versão live-action do filme?
Em Pocahontas, o Governador Ratcliffe canta uma música absurdamente racista contra os índios norte-americanos. Claro, o personagem era um conquistador - e o vilão do filme - mas nada justifica incluir letras como: "O que se esperar de pagãos imundos? Sua raça toda é nojenta como uma maldição. Sua pele é de um vermelho infernal".
Em Branca de Neve, a princesa protagonista sai correndo após quase ter sido assassinada pelo caçador. Ela vai parar em uma floresta, onde é “atacada” por uma série de alucinações medonhas. A jovem acaba encontrando abrigo na casa dos sete anões, mas não sem antes passar pelo inferno.
Em Alice no País das Maravilhas, Tweedledum e Tweedledee contam para a jovem uma história sobre a Morsa e o Carpinteiro, que resulta em uma série de pequenas ostras seguindo o animal marítimo até um restaurante. O prato principal: elas mesmas.
Bem, o segundo momento bizarro de Alice no País das Maravilhas é autoexplicativo: do que se trata esta lagarta meio “lenta” que está constantemente fumando narguilé? E afinal: “Quem és tu?”.
Durante um ritual indígena em Peter Pan, as crianças - incluindo um dos meninos da família Darling - dividem o "cachimbo da paz". John, irmão de Wendy, acaba ficando verde ao tragar e tem uma crise de tosse.
Ao som de ''Night on Bald Mountain'', de Mussorgsky, Chernabog invoca fantasmas que saem de seus retrospectivos túmulos e passam oito minutos – assustadores – voando pelos arredores da montanha até o amanhecer. É, com certeza, uma das sequências mais horripilantes da história da Disney. Mencionamos que Chernabog é o diabo?
Aladdin quase passou ileso pela nossa lista. Mas ao relembrar de um trecho da música de abertura, "Noite da Arábia", não tivemos outra alternativa. O narrador, que está falando de todas as qualidades da Arábia, canta: "Tem um belo luar e orgias demais." Isso mesmo: orgias demais!