Todas as indicações do Brasil ao Oscar (e nenhuma vitória): Central do Brasil, Democracia em Vertigem e mais

A Academia anunciou a lista dos indicados ao prêmio em 2020 nesta segunda, 13; O documentário de Petra Costa sobre o impeachment de Dilma Rousseff está concorrendo a estatueta

Redação Publicado em 13/01/2020, às 11h47

None
Fernanda Montenegro e Vinícius de Oliveira em cena de Central do Brasil, de 1998. (Foto: Reprodução)

Nesta segunda, 13, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas anunciou os indicados ao Oscar 2020. A cerimônia acontece no dia 9 de fevereiro, no Teatro Dolby, em Los Angeles. Entre a lista dos indicados, Democracia em Vertigem, produção brasileira dirigida por Petra Costa, foi nominado na categoria de Melhor Documentário da premiação. 

+++ LEIA MAIS: Democracia em Vertigem, filme sobre impeachment de Dilma, coloca Brasil no Oscar depois de três anos

A produção da Netflix mostra o processo de impeachment de Dilma Rouseff. Lançada em junho de 2019, Democracia em Vertigem também foi indicada a outras premiações ao longo do ano como CPH:DOX, Sheffield International Documentary Festival e Sundance Film Festival e foi bastante aclamada pela crítica internacional

+++ LEIA MAIS: Com 11 indicações, Coringa já é o filme de HQs mais celebrado da história do Oscar; veja

Ao lado de For Sama, American Factory, The Cave e Honeyland, a produção brasileira disputa pela estatueta. 

+++ LEIA MAIS: Joaquin Phoenix segue os passos de Heath Ledger como Coringa com Globo de Ouro, Bafta e indicação ao Oscar 2020

A indicação é uma nova chance do país conseguir vencer a premiação, visto que na história do Oscar, o Brasil teve apenas "quase vitórias" ou vitórias parciais.

+++ LEIA MAIS: Oscar 2020: Confira a lista completa de indicados

Relembre abaixo as todas as indicações do Brasil ao Oscar:

1945: Brazil 

Ary Barroso levou a estatueta do Oscar pela canção "Rio de Janeiro", escrita para o filme Brazil, produção americana dirigida por Joseph Santley. 


1963: O Pagador de Promessas

Dirigido por Anselmo Duarte, o filme concorreu ao prêmio de Melhor Filme Estrangeiro, e perdeu para a produção francesa Sempre aos Domingos. No mesmo ano, o filme havia ganhado o Palma de Ouro em Cannes.


1986: O Beijo da Mulher Aranha

Nesta coprodução do Brasil e Estados Unidos, dirigida por Hector Babenco, o ator William Hurt levou a estatueta de Melhor Ator. Além disso, o filme foi indicado como Melhor Filme, Melhor Diretor e Melhor Roteiro adaptado.


1996: O Quatrilho

A segunda indicação do Brasil a categoria de Melhor Filme Estrangeiro foi em 1996 com a produção O Quatrilho, de Fábio Barreto. A trama que narra uma comunidade rural do Rio Grande do Sul foi desbancada pela produção holandesa A Excêntrica Família de Antonia.


1998: O que é isso, companheiro?

Baseado no best-seller homônimo de 1979 do jornalista Fernando Gabeira, a produção concorreu ao Oscar como Melhor Filme Estrangeiro. 


1999: Central do Brasil

A produção de Walter Salles marcou a segunda indicação seguida ao Oscar de melhor filme estrangeiro. Além disso, a Fernanda Montenegro concorreu à estatueta de Melhor Atriz. O filme perdeu para A Vida é Bela. 


2001: Uma História de Futebol

Neste ano, o Brasil foi indicado ao Oscar com a produção Uma História de Futebol na categoria de Melhor Curta-metragem em live-action. A trama, de Paulo Machile, se baseia no livro homônimo escrito por josé Roberto Torero e acabou perdendo para Quiero ser (I Want to be..).


2004: Cidade de Deus

Inicialmente ignorado por Hollywood em 2003, o filme ficou fora de disputa como Melhor Filme Estrangeiro. No entanto, no ano seguinte, o filme concorreu a quatro categorias: Melhor Diretor (Fernando Meirelles), Melhor Roteiro Adaptado (Bráulio Mantovani), Melhor Fotografia (César Charlone) e Melhor Edição (Daniel Rezende). Ainda assim, a produção não levou nenhuma estatueta. 


2004: Aventura Perdida de Scrat

Indicado para concorrer na categoria de Melhor Animação, a produção (oficialmente registrada como dos Estados Unidos) tem o brasileiro Carlos Saldanha na direção. O cineasta também foi responsável por codirigir A Era do Gel 3 (2009) e Rio (2011) e Rio 2 (2014). A vitória ficou com a produção australiana Harvie Krumpet, do diretor de Mary e Max: Uma Amizade Diferente. 


2011: Lixo Extraordinário

Coprodução entre o Brasil e o Reino Unido, Lixo Extraordinário concorreu na categoria de Melhor Documentário. Apesar do tema ser o artista plástico brasileiro, Vik Muniz, e a ambientação ter sido em um lixão do Rio de Janeiro, a Academia anunciou apenas a diretora Lucy Walker e o produtor Angus Aynsley, ambos britânicos, e o nome de João Jardim (que codirigiu a obra) não foi mencionado.


2012: Rio

Neste ano, o Brasil foi indicado com a música Real in Rio, da animacão Rio. Carlinhos Brown e Sergio Mendes disputaram o Oscar contra Man of Muppet, da produção Os Muppets, e acabou perdendo.


2016: O Menino e o Mundo

De Alê Abreu, a produção concorreu na categoria de Melhor Animação, mas Divertida Mente de Pete Docter e Jonas Rivera ganhou a disputa. 


2016: Me Chame Pelo Seu Nome 

Dirigido por Luca Guadagnino, a produção contou com o brasileiro Rodrigo Teixeira. Indicado ao Oscar nas categorias de Melhor Filme, Melhor Música Original, Melhor Ator e Melhor Roteiro Adaptado, o filme ganhou a estatueta da última.