Todxs Nós, nova série brasileira da HBO, submerge no mundo LGBTQ+ e desafia estereótipos de gênero e linguagem

A produção estreia na HBO e na HBO Go no dia 22 de março

Malu Rodrigues Publicado em 11/03/2020, às 07h00

None
Todxs Nós (Foto: Reprodução)

Todxs Nós é a nova aposta da HBO. A série original brasileira se destaca por colocar todo o protagonismo em pessoas LGBTQ+ e negras. Criada por Vera Egito e Daniel Ribeiro, o público acompanhará Rafa, Maia e Vini, jovens paulistanos de 20 e poucos anos, se descobrindo e entendendo quem são. 

Rafa (Clara Gallo), sai do interior após um desentendimento com o pai para morar de repente com o primo gay, Vini (Kelner Macêdo), e a amiga dele Maia (Julianna Gerais). No encontro inesperado, Rafa se apresenta como “prime”, para anular o valor de gênero da palavra. O choque de Vini é um toque delicado, mas preciso, de que pessoas LGBTQ+ não estão automaticamente desconstruídas de estereótipos e questões relacionados ao gênero. Quando Rafa diz como o parente entende tudo sobre o assunto, o próprio personagem diz: “'Exatamente' é uma palavra muito forte, né?”.

+++ LEIA MAIS: Primeiros heróis LGBTQ+ da Marvel serão apresentados em quais filmes da Fase 4? Bob Iger responde

É nesse ponto de elencar e entender os próprios preconceitos que a série quer se inserir. "A diversidade, o autêntico, o genuíno e o verdadeiro podem ser uma forma de entretenimento, também”, disse Roberto Rios, vice-presidente corporativo de Produções Originais da HBO Latin America, em coletiva de imprensa nesta terça, 10.

Por isso, a escolha pelo padrão de comédia dramática não é à toa. Vera Egito enfatizou em entrevista à Rolling Stone Brasil:  "É um gênero que todo mundo que escreveu [os roteiros] gosta muito, consome muito. Sempre tem a questão da autoironia e autorreferência". O mundo da cultura pop, também de acordo com a criadora, foi introduzido de forma tranquila nos roteiros: "Não pensamos muito no que colocar, é super natural, somos nós mesmos. Diz respeito a nós".

+++ LEIA MAIS: Deadpool, Mulher-Maravilha e Batwoman: 7 personagens LGBTQ+ da Marvel e da DC Comics [LISTA]

Em relação ao enredo, o público irá se deparar com questionamentos sobre a própria desconstrução a todo o momento. Um dos principais envolve a linguagem inclusiva. Como Rafa se reconhece como pessoa não-binária, - quando alguém não se encaixa nem no masculino nem no feminino - a produção se molda para atender as expectativas.

Segundo Egito, o processo de integrar esse tipo de linguagem na série foi “vivo, longo de aprendizado, e não para agora”. Ribeiro relembra como “a nossa linguagem é machista e binária” - por isso, a equipe participou de palestras de sensibilização. Atuantes não-binários da produção também trouxeram questões sobre a linguagem.

+++ LEIA MAIS: 10 filmes cult com temática LGBTQ+ [LISTA]

Com tantos pilares, Egito atentou para a diferença entre “visibilidade e representatividade”. Segundo a criadora, apesar de Rafa estar na série, a personagem não é para ser um retrato quadrado de pessoas não-binárias: “É um espectro muito grande, existe muita diversidade dentro da diversidade”.

Ela completa: “Ainda que Rafa não represente todas as pessoas não-bináries, certamente provoca um debate, uma discussão e uma reflexão”. Além disso, sem dar muitos spoilers, a série também levantará discussões sobre o racismo e consciência de classe.

+++ LEIA MAIS: 9 artistas LGBTQ+ que mudaram o rock [LISTA]

O cuidado com o desenvolvimento da série e dos personagens foi intenso. A atriz Julianna Gerais, a Maia na produção, comentou como os atores passaram "cinco semanas, cinco dias por semana e sete horas por dia" trabalhando nas dinâmicas durantes os ensaios. "Foi muito importante, desde criar o vínculo até a linguagem no set."

A HBO levou o elenco e a equipe de produção para participar da CCXP19. As primeiras interações com o público e a crítica foram feitas no evento. No entanto, a série ainda não tinha lançado. Na entrevista, Ribeiro pontuou o que espera dessa nova reação: "Que as pessoas gostem, se emocionem e se identifiquem. Queremos que as pessoas se ouçam".

+++ LEIA MAIS: Tudo o que queremos ver na série de The Last of Us da HBO: Drama, monstros e humanidade

Enquanto isso, Kelner Macêdo disse que gostaria de ver "diálogo, conversa e abertura de espaços de comunicação".

Todxs Nós estreia no dia 22 de março, às 23h, no canal HBO e na HBO GO. No total, são 8 episódios, cada um com 30 minutos. Assista ao trailer:


+++ SESSION ROLLING STONE BRASIL: DELACRUZ - ANESTESIA