Tom Hanks vai produzir minissérie sobre as eleições norte-americanas de 2016

A produção da HBO é inspirada em livro ainda não lançado sobre a disputa entre Hillary Clinton e Donald Trump

Rolling Stone EUA Publicado em 10/03/2017, às 11h45 - Atualizado às 14h27

Tom Hanks

Ver Galeria
(3 imagens)

A HBO encomendou uma nova minissérie baseada na terceira parte do série literária Game Change, dos jornalistas Mark Halperin e John Heilemann, sobre as eleições norte-americanas de 2016. Tom Hanks é o produtor executivo da série.

A minissérie vai contar a história da campanha presidencial estranha e controvérsia de Donald Trump, que levou a uma das maiores reviravoltas políticas dos Estados Unidos. Halperin e Heilemann estavam por trás de outras duas produções da HBO sobre eleições não convencionais, incluindo o filme Recontagem (2008), baseado nas eleições presidenciais de 2000, e Virada no Jogo (2012), sobre as eleições de 2008, estrelado por Ed Harris e Julianne Moore como o senador John McCain e a governadora Sarah Palin, respectivamente.

LEIA TAMBÉM

Tom Hanks e Meryl Streep vão estrelar filme de Steven Spielberg sobre o Pentagon Papers

Trump reage ao discurso de Meryl Streep: “Uma das atrizes mais superestimadas de Hollywood”

Por que os eleitores latino-americanos têm optado por governos mais conservadores?

Ainda não há data de lançamento para o livro de Halperin e Heilemann. A dupla apareceu no The Late Show na última quarta, 8, para falar sobre a série deles, The Circus, que retorna no dia 19 de março. Os escritores já haviam se juntado a Stephen Colbert para o especial do dia da eleição, informando ao apresentador que Trump havia ganhado. “Fora a Guerra Civil, a Segunda Guerra Mundial, e incluindo o 11 de setembro, este pode ser o evento mais cataclísmico que nosso país já viu”, Halperin disse no dia da eleição.

“Eu posso ter minimizado isso”, ele notou na entrevista da última quarta. O escritor ainda disse que ele não queria “minimizar as perdas do 11 de setembro e das guerras”, mas que o resultado das eleições do ano passado “convulsionaram o país”.