Tom Veiga, o Louro José, pode ter sido envenenado, suspeita família

Segundo jornalista, fontes dizem que a família do artista pensa em exumar o corpo de Veiga

Redação Publicado em 06/04/2021, às 17h49

None
Ana Maria Braga e Louro José (Foto: TV Globo) e Tom Veiga (Foto: Reprodução/Facebook/Tom Veiga)

No dia 1º de novembro de 2020, Tom Veiga, intérprete do Louro José no programa Mais Você, de Ana Maria Braga foi encontrado morto no Rio de Janeiro. Na época, a causa da morte foi identificada pelo laudo do IML como acidente vascular cerebral, contudo, segundo o jornalista Leo Dias, a família de Veiga suspeita que o artista tenha morrido envenenado - e o motivo teria sido um testamento.

Segundo Leo Dias, fontes próximas a Veiga explicaram que 20 dias antes da morte, o artista de 47 anos tentou tirar a ex-mulher Cybelle Hermínio da Costa Veiga do testamento. O casal ficou junto entre janeiro e setembro de 2020, e no inventário, Cybelle teria direito a 50% dos bens de Tom Veiga, além de uma pensão de 18 mil reais por um ano.

+++LEIA MAIS: Mais Você e Ana Maria Braga fazem homenagem a Tom Veiga e Louro José

De acordo com áudios obtidos pelo jornal Extra, apenas três dias antes da morte, Tom Veiga teria pedido a um amigo para o acompanhar no cartório e testemunhar a mudança no documento. Devido à suspeita de envenenamento, a família pensa em exumar o corpo o artista.

Além disso, o jornalista Leo Dias divulgou o depoimento de Josenilde de Cássia Santos Silva, empregara de Tom Veiga. Cerca de um mês após a morte do intérprete de Louro José, a funcionária deu um depoimento no qual revelou o relacionamento conturbado entre o artista e Cybelle Veiga.

+++LEIA MAIS: Morre Tom Veiga, intérprete de Louro José, do Mais Você, de Ana Maria Braga

Josenilde Silva explicou que a ex-mulher de Veiga era “muito ciumenta”, e teve um episódio no qual ameaçou o artista com uma taça de vinho quebrada. No depoimento, registrado no 15º Serviço Notarial da Barra da Tijuca, a funcionária falou (via Metrópoles): 

“Ela quebrou a garrafa de vinho e partiu na direção dele com a garrafa quebrada, foi aí que ele percebeu que sua vida estava em risco, pois, ao ver que ele realmente não reagiria, Cybelle partiu para matá-lo. Por isso, ele correu pelo jardim, pegou o controle da garagem e fugiu descalço, apenas com o short que vestia, sem documentos, sem dinheiro e sem celular. Ele realmente teve medo de morrer,” disse.


+++ KONAI: 'ESTAMOS EM PRESSÃO CONSTANTE PARA SER O QUE NÃO É NOSSO NATURAL' | ENTREVISTA