Tommy Lee planeja vingança contra Trump com aborto, ateísmo e imposto para igrejas

Ultimamente, baterista do Motley Crue anda bem irritado com o presidente dos Estados Unidos e suas políticas conservadoras

Redação Publicado em 14/08/2019, às 19h44

None
Donald Trump e Tommy Lee (Foto 1: Mark Seliger e Foto 2: CC-BY Glenn Francis)

Você já imaginou como será o governo do próximo presidente dos Estados Unidos, o substituto de Donald Trump, atual governante? Tommy Lee, baterista do Motley Crue, já! 

Em seu Twitter, o músico - que já declarou várias vezes ser contra o presidente atual - postou um texto cômico e irônico imaginando um país comandado por um político de esquerda, e usando isso para se vingar de Trump e seus ideais. 

+++ LEIA MAIS: Papa Roach transforma tuíte de Donald Trump em música e viraliza 

“É melhor que orarem para os liberais nunca mais retomarem o controle da Casa Branca, porque nós vamos devolver para vocês toda essa merda. Planned Parenthood [instituto que realiza abortos] em todos os cantos. Vamos repintar o chapéu da Força Aérea de rosa […]. Jogaremos pílulas anticoncepcionais, preservativos e literatura ateísta de aviões,” brincou no começo do texto. 

Depois, continua fazendo piadas ao dizer que “vamos cobrar impostos de suas mega-igrejas, e aí Joel Olsteen [pastor ultraconservador] precisará arrumar um emprego na Chik Fil A [rede de fast food liderada por religiosos] para pagar suas contas. Falando em Chik Fil A, vamos comprar todos e entregá-los a qualquer pessoa LGBTQ que seus líderes de culto doentios torturaram com terapia de conversão. Divirta-se com o novo menu, seus preconceituosos de merda.” 

+++ LEIA MAIS: Tom Morello chama Bolsonaro de "fascista populista" e Trump de "demagogo de cara laranja" 

Ameaçou, ainda, “reunir TODAS as armas, derretê-las e transformá-las em uma montanha estampada com o rosto de Hillary Clinton [rival de Trump nas últimas eleições],” renomear todos os parques com o nome de Rosa Park, militante do movimento negro, substituir estátuas de confederados por imigrantes mexicanos, criar banheiros unissex e, finalmente, “toda vez que algum Trumpster reclamar sobre as novas mudanças, vamos colocar mais um personagem abertamente gay em um filme da Disney.”

No seu Twitter, Tommy Lee constantemente critica Trump e suas atitudes tidas como homofóbicas e, mais recentemente, gerou debates entre os fãs ao ser a favor do controle de armas de fogo nos EUA e falar bastante disso, para desagrado de alguns. “A próxima pessoa que dizer pra eu me ater à bateria e parar de falar de política, vou até a casa dela e enfiar minhas baquetas no c* até ela espirrar,” ameaçou, então. 

+++ LISTA: 13 segredos de 'Ladrão', o terceiro disco do Djonga e um dos melhores de 2019