"Se ele morrer, eu vou matá-lo", diz Ozzy Osbourne sobre Tony Iommi

Cantor disse confiar na melhora do guitarrista do Black Sabbath, que luta contra um linfoma

Redação Publicado em 09/02/2012, às 16h00 - Atualizado às 16h14

Black Sabbath
AP

O cantor Ozzy Osbourne se manifestou nesta quinta, 9, a respeito do linfoma que o guitarrista Tony Iommi vem enfrentando desde o início do ano, quando foi diagnosticado com o câncer e acabou modificando os planos da reunião do Black Sabbath. "Ele vai vencer", disse Ozzy, em entrevista à rádio The Boneyard. "Acredite em mim, esse cara é mais determinado do que qualquer pessoa que já conheci. Ele vai ficar bem, é apenas um daqueles testes na vida que acontecem. Eu disse a ele que se ele morrer, eu vou matá-lo."

Clique aqui e relembre dez momentos memoráveis de Tony Iommi com o Black Sabbath

A esposa de Ozzy, Sharon Osbourne, também se manifestou com relação ao Black Sabbath, mas para dar sua versão sobre a saída do baterista Bill Ward que, segundo rumores, foi motivada por Sharon. "Não estou em posição de contratar ou demitir ninguém no Black Sabbath", ela escreveu no Twitter. "Eu não cuido da banda, cuido do meu marido."

Ward foi descartado da reunião da banda após reclamar de cláusulas inclusas no contrato para um novo disco e uma turnê mundial que, segundo ele, não eram "assináveis". "Se eu assinar isso como está, perderei meus direitos, dignidade e respeito como músico de rock", disse o baterista, em comunicado publicado em seu site oficial. Mais recentemente, ele usou a página para dizer que ainda espera "uma solução positiva" do caso.

Sobre a recusa de Ward em assinar o contrato, o Black Sabbath escreveu em seu Facebook oficial: "Não temos escolha, a não ser continuar gravando sem ele. As portas estão sempre abertas."