Tulipa Ruiz estreia novo formato de show em São Paulo

Cantora lança vinil de Tudo Tanto e faz apresentação em nova formação: voz, guitarra e clarinete

Paulo Terron Publicado em 02/10/2013, às 18h19 - Atualizado às 19h01

Tulipa Ruiz
Luisa Santosa

Ainda em meio à turnê de Tudo Tanto (2012), Tulipa Ruiz volta ao passado. Metaforicamente, pelo menos. No começo deste mês ela voltou ao formato de show que deu inicio à carreira dela, apenas com voz, guitarra e agora o reforço de um clarinete. "É muito gostoso porque parece que a canção volta para a essência dela", conta. "É como se ela estivesse pelada, muito íntima." O repertório, além de músicas próprias, deve ter composições do Rumo (umas das maiores inspirações da artista), Marcos Valle e Joni Mitchell ("People's Parties").

Melhores de 2012: artistas falam sobre suas músicas. Tulipa Ruiz, com “Dois Cafés”, está entre as selecionadas.

"Tem lugares que não cabe fazer com banda, essa formação com voz e guitarras é algo que estamos acostumados a fazer na Europa. Aí chamamos o clarinete para um reforço luxuoso", explica. Por enquanto estão marcadas apresentações em São Paulo (Tom Jazz, 5 de outubro) e Rio (Miranda, dia 17).

Outra novidade com sabor nostálgico é o lançamento do vinil do álbum mais recente, cuja ordem de faixas e masterização tiveram de ser alteradas para o formato. "Foi interessante pensar em um lado mais solar e outro mais obscuro, deu esse clima – são dois universos distintos, lado A e B", diz. "Disco tem essa coisa: é um objeto de arte e um ritual."

Urbanidade sonhada. No segundo disco, Tudo Tanto, Tulipa Ruiz deixa o pop florestal de lado e devaneia na cidade.

Antes de um novo álbum – projeto para 2015 -, Tulipa pretende lançar um DVD ao vivo. Além de continuar na estrada. "Tenho bastante para desfrutar desta turnê ainda. Gosto de acreditar nesse tempo mais alongado que o disco pode ter. É gostoso ver o desdobramento que ele pode ter." Recentemente, ela gravou uma versão de "Paciência", de Lenine, para um disco beneficente a portadores da síndrome de Down organizado por João Cavalcanti (Casuarina, filho de Lenine).