Twenty One Pilots: como o disco Blurryface mudou o jogo, fez história e colocou a banda em outro patamar

Após o lançamento do álbum, o duo ganhou Grammy, lotou estádios, foi para o topo de diversas paradas, entre outras conquistas

Felipe Grutter Publicado em 03/07/2020, às 07h00

None
Twenty One Pilots (Foto: Jabari Jacobs/Divulgação) e capa do Blurryface (Foto: Reprodução)

“Há uma infestação na imaginação da minha mente / Espero que eles sufoquem com a fumaça / Porque eu estou esfumando-os para fora do porão / Isto não é rap, isso não é hip hop / Apenas uma outra tentativa de fazer as vozes pararem”, e assim começa “Heavydirtysoul”, música que abre Blurryface (2015), quarto álbum de estúdio do duo Twenty One Pilots, e dialoga com o conceito trazido por Tyler Joseph e Josh Dun: entender e lutar contra as inseguranças.

Esse disco, que completou 5 anos no dia 17 de março deste ano, é, sem sombra de dúvidas, o mais importante da carreira da banda, porque com ele, Joseph e Dun conseguiram mudar o jogo, fazer história e levar Twenty One Pilots para outro patamar.

+++LEIA MAIS: Como o R&B contemporâneo cresceu no Brasil e vive seu melhor momento?

Desde antes do lançamento do Blurryface, a banda começou a divulgar o disco de uma maneira bastante inusitada. Entre os fãs, a dupla é bastante conhecida por fazer enigmas cabulosos quando vai anunciar um trabalho novo. 

No caso do disco de 2015, eles criaram uma conta no Twitter, cujo usuário é @blurryface - inclusive, ativa até hoje, mas sem conteúdo nenhum -, e as postagens vindas do perfil eram totalmente enigmáticas. 

Um dos casos mais emblemáticos do @blurryface foi quando o personagem tuítou duas imagens, cada uma com um trecho de “Ride”, antes mesmo dela ser lançada. Pouco tempo depois, o perfil escreveu: “Agora você pode achá-lo. Vá achá-lo”. Os fãs pensavam que a publicação se tratava da música, mas, quando acharam, não era a canção, mas sim o álbum inteiro, vazado pelo Twenty One Pilots, segundo o site da Mutant Kids Brasil.

Naquela época, ninguém sabia das proporções que Blurryface atingiria.

+++LEIA MAIS: Como e quando o Avatar Aang morreu depois de A Lenda de Aang


Antes de tudo, minha história com a banda

Era 2016, perto de acontecer o Lollapalooza daquele ano. Minha melhor amiga, Jac, e a tia dela haviam ganhado, em uma promoção de uma rádio de São Paulo, um par de ingressos para o primeiro dia do festival, no sábado.

Porém, o Twenty One Pilots se apresentaria - o que seria a primeira vez no Brasil - somente no domingo, e ela só tinha ingresso do primeiro dia. Então, até o final de semana do Lollapalooza 2016, ela não parava de falar desse tal duo, como ela gostava deles e como estava triste de, provavelmente, não ter a chance de vê-los ao vivo.

No final, tudo deu certo e ela conseguiu comprar o ingresso enquanto rolava o último dia do festival, mas chegou no show depois de Tyler Joseph e Josh Dun tocarem a primeira música, “Heavydirtysoul”.

+++LEIA MAIS: Afinal, do que se trata ‘Wonderwall’, música clássica do Oasis?

Eu só fui começar a ouvir as músicas do Twenty One Pilots depois do show deles no Lolla de 2016. Logo nas primeiras reproduções, eu já me apaixonei pelo som, e cada vez mais eles se tornaram minha banda favorita, e têm essa posição em meu coração até os dias de hoje. Se não me engano, a primeira música deles que ouvi foi “Fairly Local”.

Felizmente, eu tive a oportunidade de ver um show da banda ao vivo. Foi no Lollapalooza2019, quando eles foram um dos headliners da edição. Eu fui ao festival com a Jac e Isa, uma amiga dela. Como planejado, a gente acordou super cedo no domingo, dia da apresentação do Twenty One Pilots, e já pegamos fila no Autódromo de Interlagos para ficar o mais perto possível da grade.

A espera de três anos para ver um show deles valeu (e muito) a pena, e mal posso esperar para o próximo.

Depois dessa breve digressão, vamos continuar no assunto do Blurryface.


A grandeza de Blurryface: mudou o jogo, fez história e atingiu marcos

[Colocar ALT]
Capa de Blurryface

Blurryface conseguiu atingir diversas metas e colocou o Twenty One Pilots nessa visibilidade e evidência nas quais a banda se encontra.

O álbum foi anunciado nos últimos meses de 2014, como informa o blog do Mutant Kids Brasil. Mas só em março de 2015 ele começou a ganhar forma. Algumas rádios dos Estados Unidos começaram a revelar ter tido acesso ao álbum e fizeram crescer a expectativa dos ouvintes da estação e fãs do duo.

Supostamente, a capa e nome do álbum foram “vazados” no site KingdomLeaks, junto com qual seria o primeiro single e a data de lançamento da música: “Fairly Local”, no dia 17 de março. Blurryface teve outros cinco singles: “Tear In My Heart”, “Stressed Out”, “Ride”, “Lane Boy” e “Heavydirtysoul”.

Depois do lançamento de “Fairly Local”, aconteceu todo aquele lance do Twitter @blurryface e o vazamento do disco citados anteriormente.

+++LEIA MAIS: Blurryface, do Twenty One Pilots, é o disco de banda mais tocado na história do streaming

Finalmente, após muitas especulações, teorias e expectativas, Blurryface foi lançado. E logo nesse período, já mostrou que chegou para fazer história, seja na de Twenty One Pilots ou até mesmo na indústria da música. 

No dia do lançamento, o disco já foi parar na primeira posição da Billboard Top Rock Albuns e Billboard 200 - o álbum continua nessa última parada desde então. No dia em que esse texto foi escrito, Blurryface encontra-se em 171° colocado. Ou seja, ele está há 167 semanas no chart.

Vale lembrar que álbum teve todas as 14 músicas foram listadas pela Recording Industry Association of America (RIAA) com certificado de Ouro, e tornou-se o primeiro disco a atingir essa marca. Além disso, para a Billboard, a obra foi a 12ª melhor da década de 2010.

Já os clipes da era Blurryface foram tremendos hits, "Stressed Out" conta com mais de 2 bilhões de visulizações e "Ride" mais de 1 bilhão. Os outros quatro clipes ("Fairly Local", “Tear In My Heart”, “Lane Boy” e “Heavydirtysoul”) contam com mais de 100 milhões de views.

Na parte das vendas, o quarto disco de estúdio do duo vendeu mais de 150 mil unidades mundialmente. Blurryface foi certificado como 4X Platina nos Estados Unidos, foi o oitavo álbum mais vendido no mundo em 2016. A obra também, até hoje, vendeu mais de 6,5 milhões de cópias ao redor do planeta.

+++LEIA MAIS: Os principais filmes cult dos anos 1990, segundo site

Quanto ao desempenho nas plataformas de streamings, o disco não decepcionou. Só no Spotify conta com mais de 4 bilhões de reproduções, já mundialmente - junto com outras plataformas -, são mais de 8 bilhões.

No Spotify, Blurryface é o álbum de um grupo com mais streams e o primeiro disco a ter todas as faixas com mais de 100 milhões de reproduções. Já mundialmente, ele é o disco de uma banda com mais reproduções nas plataformas.


Afinal, quem é Blurryface?

[Colocar ALT]
Retrato do Blurryface (Foto: Reprodução/Twitter)

No texto, você deve ter notado Blurryface para lá, Blurryface para cá e o fato dele ser um personagem criado por Tyler Joseph e Josh Dun. Mas quem ele é? O que representa?

Em entrevista ao PaperMag (via Mutant Kids Brasil), Tyler Joseph falou que Blurryface é toda a parte ruim do psicológico dele. “Ele é esse cara que representa tudo pelo qual sou inseguro”, revelou. “Honestamente, todos nós sabemos que somos inseguros sobre certas coisas, mas o que não entendemos totalmente é como essas inseguranças afetam nossa vida no dia-a-dia”.

+++LEIA MAIS: Como uma viagem intensa de LSD levou George Harrison a escrever 'It’s All Too Much’, dos Beatles

A criação do personagem ajudou o cantor a “dar um lugar na mesa às minhas inseguranças, então eu posso encará-lo e dar a ele um nome e um rosto e uma personalidade”. Então, ele pode ver e entender “essas inseguranças por aquilo que são” e derrotá-las todos os dias, como se fosse um tipo de ciclo, no qual ele passa por tudo repetidas vezes, como fica implícito no clipe de “Heavydirtysoul”.


+++ RAEL | MELHORES DE TODOS OS TEMPOS EM 1 MINUTO