Pulse

Tyler, The Creator critica Eminem por ter cedido à pressão dos fãs nos discos

Rapper que lançou o disco Igor explica os motivos de não gostar do material mais recente de Slim Shady

Redação Publicado em 28/07/2019, às 18h00

None
Tyler the Creator e Eminem (Montagem: Divulgação e Evan Agostini/Invision/AP)

Um dos grandes nomes do rap atual, Tyler, The Creator explicou ao programa do rapper Funkmaster Flex na rádio norte-americana Hot 97 os motivos de criticar o material mais recente lançado por Eminem, rapper que já foi citado como referência para Tyler.

A cisão entre Tyler e Eminem teve início em 2017, quando Tyler escreveu no Twitter que o single de Eminem recém-lançado na época, "Walk On Water", era "horrível". Em resposta, Tyler foi um dos alvos do também conhecido como Slim Shady no seu disco posterior, Kamikaze, lançado em agosto do ano seguinte, em 2018.

+++ LEIA MAIS: A Estranha Motivação de Tyler, The Creator

Na entrevista para Flex, Tyler deixou claro que realmente admira Eminem, mas está desapontado com o fato de que Em, como Eminem também é conhecido, decidiu se curvar ao gosto do público e dos fãs, em vez de fazer o som no qual acredita.

Para Tyler, o disco Recovery, lançado em 2010, é o grande exemplo de como um artista não deveria fazer diante da pressão popular. Para o rapper que foi um dos fundadores do grupo Odd Future, é egoísta dos fãs esperar que o artista faça o mesmo disco várias vezes.

O disco do Eminem chamado Relapse, lançado um ano antes de Recovery, "era como se ele dissesse: 'Essa é a estética que eu quero seguir'", explica Tyler. "E naquele disco, ele foi 100% na direção que queria. Mas as pessoas não gostaram e, então, ele lançou aquela porcaria de Recovery, cheio de refrões pop. Aquele lixo funcionou, todo mundo aplaudiu. Os fãs que não gostaram disseram: 'Queremos o velho Eminem'."

Tyler diz que as pessoas passaram a pedir para que Eminem criasse novamente o disco The Marshall Mathers, lançado em 2000, que vendeu 32 milhões de cópias ao redor do mundo. "Tenho a impressão que ele leu isso e pensou: 'Quer saber, que se dane, vou tentar voltar e refazer aquele momento'. E quando as pessoas voltam atrás, essa é a coisa mais grosseira a se fazer. Siga sempre em frente. Faça o que for preciso ter o que você quer de verdade".

Tyler cita Jay-Z como um exemplo a ser seguido quando o assunto é evolução artística. Especificamente, ele fala sobre o álbum 4:44, lançado em 2017. "Aquele álbum tinha muito daquilo que realmente se passava na vida dele", diz Tyler. "E essa é uma perspectiva que ninguém mais poderia ter. Eu não quero ser o cara que diz: 'Que se dane, vou voltar para as coisas que eu fazia porque os fãs querem. Dê a eles o que você quer, não o contrário. Isso só é a perspectiva dos fãs."

Recentemente, Tyler, The Creator se transformou mais uma vez com o disco IGOR, um o sexto álbum da carreira e o primeiro a chegar no topo das paradas na primeira semana de lançamento.

+++ SESSION ROLLING STONE: Francisco, El Hombre abre um diálogo sobre depressão com "Parafuso Solto :: Peso Morto"